sicnot

Perfil

País

SEF desmantela rede de falsificação de documentos

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve um cidadão estrangeiro e desmantelou uma organização criminosa ligada à venda de documentação falsa a imigrantes em situação irregular no espaço Schengen, informou hoje o SEF.

Segundo o SEF, foram cumpridos 11 mandados judiciais nas áreas de Lisboa, Seixal, Queluz, Estoril e Alenquer, com a realização de seis buscas a domicílios e cinco buscas a viatura, a par de outras diligências para obtenção de prova.

A operação - diz o SEF - culminou com a detenção de um cidadão estrangeiro na posse de um bilhete de identidade português contrafeito, tendo sido constituídos arguidos sete suspeitos.

A investigação, em curso no SEF há nove meses, visou desmantelar uma organização criminosa que se dedicava, de forma reiterada, à falsificação ou contrafação de diversos tipos de documentos, para venda a cidadãos estrangeiros que se encontram em situação irregular no espaço Schengen.

Em causa estão crimes de associação criminosa, de auxílio à imigração ilegal e de falsificação ou contrafação de documento, entre outros ilícitos.

A operação mobilizou quatro dezenas de operacionais do SEF e durante as buscas foi apreendido diversa documentação falsa, nomeadamente bilhetes de identidade portugueses, passaportes portugueses e estrangeiros e cartões de residência portugueses.

Foi também apreendida moeda falsa e material utilizado na produção da documentação falsa, designadamente laminados, imitação de selo branco e material cortante.

O cidadão estrangeiro detido será apresentado quinta-feira ao juiz de Instrução Criminal de Lisboa.

A investigação do SEF prossegue, sob coordenação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Lusa

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.