sicnot

Perfil

País

Juíza da Relação do Porto condenada por peculato

A juíza Joana Salinas, desembargadora do Tribunal da Relação do Porto, foi esta tarde condenada a dois anos e seis meses de prisão pelo crime de peculato. A pena será suspensa mediante o pagamento de 5.500 euros à Caritas.

SIC

O Supremo Tribunal de Justiça deu como provado que a magistrada pagou a advogados para lhe fazerem projetos de acórdãos para assim escapar a um processo disciplinar por excesso de processos em atraso.

Joana Salinas pagava esse trabalho com dinheiro da Cruz Vermelha de Matosinhos, da qual é presidente.

O tribunal condenou também uma advogada do Porto, Alexandra Sá, a um ano de prisão, também com pena suspensa e obrigada a entregar dois mil euros.

O tribunal deu como provado que a magistrada pagou à advogada Alexandra Sá uma avença de 1.500 euros mensais para que esta estudasse e elaborasse acórdãos de processos da Relação do Porto.

No final do julgamento os advogados de Joana Salina e de Alexandra Sá não prestaram declarações.

  • Atentado "falhado" em Nova Iorque
    1:43

    Mundo

    Uma explosão numa das zonas mais movimentadas de Manhattan fez quatro feridos, esta segunda-feira. Entre eles está o homem que transportava o engenho e que foi entretanto detido.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.

  • 10 Minutos com Leonor Beleza
    10:27

    10 Minutos

    A nossa convidada desta segunda-feira ainda é conhecida por ter sido ministra da Saúde e pelo seu trabalho à frente da Fundação Champalimaud. Mas desta vez vamos falar com Leonor Beleza sobre os 40 anos da revisão do Código Civil, em que esteve envolvida.

    Entrevista completa