sicnot

Perfil

País

Governo mantém exames no 9º e acaba com os do 6º ano

Ministério da Educação anunciou que vai manter os exames nacionais do 9º ano, mas decidiu acabar com os do 6º ano. O Governo decidiu retomar as provas de aferição no 2º, 5º e 8º anos de escolaridade, já este ano letivo.

© Stephane Mahe / Reuters (Arquivo)

"A avaliação contínua deve ser o instrumento por excelência da avaliação interna", lê-se num comunicado emitido hoje pelo Ministério, que revela o novo modelo integrado de avaliação externa das aprendizagens no ensino básico.

As provas de aferição vão realizar-se, assim, antes do final de cada ciclo de ensino, "de modo a poder agir atempadamente sobre as dificuldades detetadas", justificou o Ministério.

O modelo integrado de avaliação só não mexe nos exames do 9º ano. Mantém-se o mesmo regime que existe desde 2005, com provas a português e matemática.

Os exames do 6º ano desaparecem, os do 4º já tinham terminado no Parlamento. Com o novo ministro regressam as provas de aferição, que passam a ser feitas não em fim de ciclo, mas antes da sua conclusão para que possam ser detetadas e melhoradas eventuais dificuldades.

Assim, há prova de aferição no 2º ano, que deve ser realizada nas escolas, e que até 2017 recai sobre todas as áreas do currículo. Também no 5º e no 8º anos há provas de aferição. Este ano letivo incidem apenas em português e matemática. No próximo ano letivo incidirão, rotativamente, sobre outras áreas do currículo.

Os resultados são devolvidos às escolas, transmitidos aos encarregados de educação e ficam na ficha individual do aluno, que vai permitir definir estratégias de aprendizagem.

As provas de aferição serão realizadas no final do ano letivo e são obrigatórias. O Governo está a preparar as alterações legislativas necessárias à implementação deste modelo.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.