sicnot

Perfil

País

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem em Chaves

O Tribunal de Chaves decretou a prisão preventiva aos dois suspeitos de terem matado e enterrado um jovem de 15 anos no quintal de uma moradia, naquela cidade do distrito de Vila Real, disse hoje fonte policial.

Os dois suspeitos, uma mulher de 31 anos e um homem de 19 anos, foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) e presentes a tribunal durante a tarde de quinta-feira, numa audiência que se prolongou até à madrugada de hoje.

Ambos vão aguardar julgamento em prisão preventiva e indiciados pelo crime de homicídio e de ocultação do cadáver de um rapaz que estava institucionalizado no Lar de Infância e Juventude, que pertence à Santa Casa da Misericórdia de Chaves.

O cadáver foi localizado no dia 04 de novembro de 2015, enterrado no jardim de uma vivenda, em Santa Cruz, na cidade de Chaves.

Os factos, segundo esclareceu a PJ, em comunicado, ocorreram em finais do mês de outubro, quando os suspeitos, "mediante plano previamente estabelecido e por motivo fútil, agrediram violentamente a vítima até à morte".

A polícia fala num crime com "utilização de violência física extrema", já que o jovem terá sido morto à pancada e o seu corpo posterirmente queimado, alegadamente para dificultar a identificação do cadáver.

Posteriormente, com a colaboração de dois jovens do sexo masculino e feminino, de 15 e 12 anos, respetivamente, procederam à ocultação do cadáver da vítima, que estava institucionalizada.

Os dois menores foram identificados pela PJ e sujeitos a medidas tutelares.

A PJ referiu que os suspeitos estão ainda indiciados por vários roubos "por esticão" e furto qualificado perpetrados nos últimos meses nas cidades de Lamego, Peso da Régua, Vila Real e Chaves.

Lusa

  • Morto à pancada, enterrado e queimado em quintal
    2:28

    País

    A Polícia Judiciária conseguiu finalmente identificar o corpo que apareceu num quintal de Chaves há dois meses. Trata-se de um jovem de 15 anos que estava institucionalizado na Escola Agrícola de Artes e Ofícios. Tudo indica que terá sido morto por elementos de um grupo que fazia assaltos em Chaves. A Judiciária de Vila Real não revela pormenores do crime mas adianta que os dois menores também identificados tiveram envolvimento na ocultação do cadáver.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC