sicnot

Perfil

País

Há mais vozes de defesa que contra projeto da 2ª Circular, garante Câmara de Lisboa

O presidente do município lisboeta desvalorizou hoje as críticas ao projeto da autarquia para a Segunda Circular, assegurando que tem havido mais vozes favoráveis do que contra a intervenção, que inclui alterações em nós de acesso e na velocidade.

A ideia da autarquia de Lisboa é fazer da Segunda Circular um corredor arborizado como se vê na imagem

A ideia da autarquia de Lisboa é fazer da Segunda Circular um corredor arborizado como se vê na imagem

"Tem havido críticas ao projeto, mas tem havido muito mais vozes na defesa do projeto e é precisamente esse o objetivo de uma consulta pública: é ouvir as opiniões das várias pessoas sobre o projeto [...] para, com base nessa opinião, podermos adaptar, melhorar e incorporar os contributos que surjam para a melhoria do nosso projeto", afirmou Fernando Medina, que falava em conferência de imprensa nos Paços do Concelho sobre o plano "Pavimentar Lisboa", no qual se insere a pavimentação da Segunda Circular.

O autarca socialista salientou que "há aqueles que não leram o projeto e que criticam aspetos que não estão" no plano, tais como a redução do número de faixas (que não está prevista), a alteração da largura das vias (que já existe numa parte da estrada, mas será aplicada noutras zonas) e a criação de ciclovias (que também não está prevista).

"Vai continuar a ser uma via viária que vai servir automóveis. Queremos que, naturalmente, sirva a melhoria da qualidade de vida da cidade, mas não [...] vão circular pessoas nem vai ter lojas nem parques infantis", assegurou, recusando a ideia de transformar a Segunda Circular numa avenida.

  • Segunda Circular vai ter menos asfalto e velocidade mais limitada
    1:21

    País

    Uma das principais artérias de Lisboa vai sofrer alterações de fundo. A 2ª Circular vai passar de via rápida a via urbana, com mais árvores, menos asfalto e velocidade limitada aos 60 quilómetros por hora. As alterações defendidas pela autarquia estão em discussão pública até ao final da próxima semana.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.