sicnot

Perfil

País

Polícia Marítima suspende buscas na foz do Douro sob a falta de indícios de naufrágio

A Polícia Marítima suspendeu hoje as buscas para encontrar três possíveis desaparecidos na zona da foz do rio Douro, no Porto, depois de ter recebido um alerta de naufrágio que não foi confirmado, disse à Lusa fonte daquele organismo.

(arquivo)

(arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

A fonte acrescentou que as autoridades não conseguiram encontrar qualquer indício de que o naufrágio da embarcação de recreio tivesse realmente ocorrido.

Já à tarde, o capitão do Porto do Douro e Leixões, Teixeira Pereira, referiu haver indícios de que se tratasse de um "falso alarme".

Em declarações à Lusa, o responsável explicou então que "face à incerteza e às más condições do mar", a mobilização do navio patrulha oceânico "Figueira da Foz" para auxiliar nas buscas foi cancelada.

Contudo, a Polícia Marítima continuava na altura a fazer patrulhas para ver se existiam indícios ou destroços de alegado naufrágio da embarcação de recreio, que poderia chamar-se "Odivelas".

Segundo o capitão Teixeira Pereira, o nome do navio "Odivelas" não foi encontrado na lista de registos, não havendo sequer um nome parecido, e também não se recebeu sinal da embarcação a emitir pedido de socorro.

"São vários indicadores que levam a pensar em falso alarme", acrescentou.

Um helicóptero da Força Aérea e meios da Marinha realizaram hoje buscas próximo da foz do rio Douro após o alerta.

O porta-voz da Marinha, Paulo Vicente, contou à agência Lusa que o alerta chegou ao Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa) por volta das 06:00, tendo um helicóptero EH-101 estado envolvido nas buscas entre as 08:00 e as 12:00, hora em que regressou à Base Aérea do Montijo para reabastecer.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59