sicnot

Perfil

País

Ministro da Agricultura diz que proibição de venda de aves vivas é para impedir contaminação

O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, disse hoje que Portugal decidiu proibir a venda de aves vivas nos mercados devido aos focos de gripe aviária em França e que a medida se manterá enquanto for considerada necessária.

© Mike Segar / Reuters

Capoulas Santos adiantou que os focos de gripe aviária detetados em França não são transmissíveis entre humanos, mas que o Governo português quis evitar a disseminação da doença.

"Nesse sentido, como medida preventiva, e uma vez que tem havido uma multiplicação de focos em França e temos um comércio com alguma expressão entre França e Portugal, para evitar a contaminação e disseminação da doença entendemos adotar esta medida que persistirá" durante o tempo que as autoridades veterinárias considerarem necessário.

A medida é de âmbito nacional, e não comunitária, esclareceu.

Segundo o Diário de Notícias, Portugal proibiu a importação de aves a partir de França para os próximos dias devido ao aparecimento de gripe aviária naquele país nas últimas semanas.

O jornal refere que as autoridades de saúde garantem que o grau de preocupação está "distante" do nível atingido em 2005, quando a gripe assustou o mundo, mas admitem que o risco "não é zero". Estão proibidos de vender perus, gansos, patos ou galinhas os mercados e feiras das 139 zonas classificadas como de maior risco, distribuídas por 58 concelhos do continente, sobretudo junto a zonas mais próximas das linhas de água, onde ocorrem aves migratórias.

Lusa

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20