sicnot

Perfil

País

Assunção Cristas, a ministra da lavoura que quer liderar o CDS

A candidata à liderança do CDS-PP Assunção Cristas destacou-se enquanto ministra da Agricultura, depois de Paulo Portas a ter trazido para o partido quando deu nas vistas na campanha contra a despenalização do aborto.

MIGUEL A. LOPES

No XIX Governo Constitucional, começou por acumular o Ambiente com a Agricultura, mas a pasta da lavoura é que moldaria a sua imagem mediática.

De motivação ambientalista e aguçado sentido mediático seria a primeira medida que tomou depois de tomar posse: abolir as gravatas no ministério e diminuir o consumo de ar condicionado.

Maria de Assunção Oliveira Cristas Machado da Graça nasceu em 1974 em Luanda, mas cresceu em Lisboa e foi na capital que enveredou pela carreira académica, doutorando-se em Direito Privado pela Universidade Nova de Lisboa, onde se tornou professora.

A entrada na cena política deu-se em 2002, com o convite da então ministra da Justiça Celeste Cardona, para o cargo de sua adjunta, colocando a tese de doutoramento em pausa, para assumir as funções no Governo de coligação PSD/CDS-PP, liderado por Durão Barroso.

Após esse tirocínio, Assunção Cristas integrou o Gabinete de Política Legislativa e Planeamento até 2005, voltando depois à vida universitária, mas uma intervenção no programa "Prós e Contras" da RTP, em plena campanha para o referendo de 2007 à descriminalização do aborto, despertou a atenção de Portas, em busca de quadros para a renovação do CDS-PP.

O convite para integrar a Comissão Política dos centristas não tardou e o "rigor, afinco e trabalho" - a sua fórmula para tudo em que se mete, conforme disse numa entrevista - levaram-na até à posição de cabeça de lista nas eleições legislativas de 2009 pelo círculo de Leiria, distrito pelo qual tem sempre concorrido.

Mãe de quatro filhos, Assunção Cristas foi a primeira mulher a estar grávida durante o exercício das funções de ministra e Paulo Portas gosta de dizer que algumas reuniões no partido passaram a realizar-se durante o dia para que a sua vice-presidente pudesse dar mais assistência à família.

Atualmente, Cristas exerce as funções de deputada e de vice-presidente do CDS-PP.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.