sicnot

Perfil

País

PSD abre debate quinzenal com o primeiro-ministro

O PSD abre na sexta-feira o segundo debate quinzenal com o primeiro-ministro, António Costa, no parlamento com questões "políticas, económicas e sociais", temas comuns a todas as bancadas.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters (Arquivo)

A seguir ao PSD, pela ordem prevista, intervirão o PS, BE, CDS-PP, PCP, PEV e PAN. No primeiro debate quinzenal da legislatura, dia 16 de dezembro, o primeiro-ministro, António Costa, prometeu uma "reflexão séria" sobre o "desenho institucional" do Banco de Portugal.

Os problemas do Banif, que vai ser alvo de uma comissão de inquérito, estiveram no centro do primeiro debate quinzenal, com o primeiro-ministro a assegurar que o Governo faria tudo para limitar as perdas dos contribuintes.

A reposição de rendimentos com o intuito de "reverter a asfixia fiscal sobre a classe média" foi o tema levado pelo primeiro-ministro, que anunciou a revogação dos cortes nas pensões e nos salários dos funcionários públicos.

Nas últimas duas semanas, causou polémica o anúncio do fim dos exames nacionais do 4.º e do 6.ºanos de escolaridade, com o PSD e o CDS-PP numa audição que foi marcada pelas intervenções dos grupos parlamentos do PSD e do CDS-PP a acusarem o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, de "ímpeto radical".

Outra medida contestada pela oposição PSD e CDS-PP foi a reposição das 35 horas de trabalho semanais na função pública, que será aprovada à esquerda também na sexta-feira.

Lusa

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Donald Trump já está no Vaticano 
    1:32