sicnot

Perfil

País

Diretor geral de veterinária garante que não há gripe das aves em Portugal

O diretor-geral de Alimentação e Veterinária, Álvaro Mendonça, garantiu hoje que não existe gripe das aves em Portugal e que estão a ser tomadas todas as medidas para evitar a entrada de casos no país, vindos de França.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Thomas Peter / Reuters

"Surgiu em França com alta patogenicidade nas aves em novembro, e em meados de dezembro houve, de uma semana para a outra, um grande aumento do número de casos. Receámos que estivesse descontrolado", reconheceu.

Apesar de não existir em Portugal e de não ser facilmente transmissível às pessoas, as autoridades estão a tomar medidas de urgência, porque a importação de um lote infetado traria risco de contágio, disse o responsável durante uma conferência de imprensa da Direção-Geral da Saúde, sobre a gripe.

Essas restrições passam por proibir a importação de aves vivas provenientes de zonas de restrição que se destinem a mercados de rua, disse Álvaro Mendonça, sublinhando que não há restrições a animais produzidos em zonas fechadas.

O diretor-geral acrescentou ainda que está proibida a venda de aves vivas em mercados ou feiras situados em cerca de 50 concelhos onde existem zonas de aves migratórias, que possam trazer o vírus para Portugal.

O responsável salienta, no entanto, que "o risco seria do foro económico".

"Todas as importações estão a ser analisadas caso a caso, antes de saírem de França e à entrada em Portugal. São sujeitas a análises laboratoriais e, até ao momento, não temos nenhum caso positivo, nem nenhum caso suspeito", esclareceu.

Álvaro Mendonça sublinhou ainda que não há restrições ao consumo de qualquer tipo de ave e lembrou que este tipo de casos costuma ocorrer todos os anos, em países diferentes.

"No ano passado foi na Holanda, antes, foi na Dinamarca. É uma situação comum todos os anos, a única diferença é este ano ser em França, mais perto da fronteira com Espanha", explicou.

Lusa

  • CGTP espera milhares na 1ª manifestação nacional do ano
    1:49

    País

    A CGTP-IN conta ter "dezenas de milhares de trabalhadores" de todo o país e setores de atividade na primeira manifestação nacional do ano, marcada para esta tarde, em Lisboa, em defesa da valorização do trabalho e dos trabalhadores.Estão previstas centenas de autocarros e quatro comboios especiais, um de Braga e três do Porto, para transportar os manifestantes para a capital.De Coimbra saíram 13 autocarros, com cerca de 700 trabalhadores, de setores diferentes para exigir ao governo reposição de direitos perdidos.

  • A semana em revista

    Mundo

    Com a semana a chegar ao fim, a SIC Notícias apresenta-lhe, num único artigo, os destaques que marcaram a atualidade nos últimos dias. Um espaço onde pode ficar a saber, ou simplesmente recordar, os temas que marcaram a semana noticiosa.

    André de Jesus