sicnot

Perfil

País

Família de David Duarte avança com queixa-crime para apurar todas as responsabilidades

A família do jovem de 29 anos que morreu no Hospital São José na madrugada de 14 de dezembro vai apresentar uma queixa-crime "contra todos os envolvidos na cadeia de decisão" sobre a alegada falta de assistência ao jovem.

Em conferência de imprensa hoje em Lisboa, Francisco Manaio, tio de David Duarte, adiantou que a família pretende apurar todas as responsabilidades e saber se os meios do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foram bem geridos.

A advogada deste caso, Cristina Malhão, adiantou que a queixa vai ser entregue ao Ministério Público (MP) em meados da próxima semana.

" A família do David Duarte tem todo o direito de fazer chegar a sua queixa ao MP, independentemente de sabermos que existe um inquérito a decorrer. (...) Cabe ao Ministério Público apurar todos os factos, ao nível da organização e do planeamento dos meios do SNS", afirmou.

A advogada disse estar convicta de que "existem responsabilidades" e que todas elas devem ser apuradas: "Apurar todas as responsabilidades sem qualquer tipo de exceção, não há nenhuma razão para ficar de fora qualquer tipo de responsabilidades. Estamos a falar de uma situação que era do conhecimento público".

Cristina Malhão vincou que é do domínio público que "o hospital de São José não dispunha de uma equipa de neurocirurgia a trabalhar nos fins de semana".

"Mas essa avaliação, a forma como essa decisão foi tomada, em que medida a coordenação entre os serviços hospitalares funcionou ou não, é precisamente o que se pretende apurar", declarou.

Quanto a um eventual pedido de indeminização, os advogados da família sublinham que esta não é uma questão prioritária, mas que certamente no futuro isso será analisado.

O tio de David Duarte frisou igualmente que a família pretende "somente apurar as responsabilidades e perceber se os meios existentes no SNS foram geridos de acordo com as normas e a lei em vigor".

"O David era um jovem de 29 anos que viu a sua vida interrompida por não ter sido socorrido de forma eficaz e atempadamente no hospital de São José. Um hospital que pertence ao SNS, a que todos recorremos quando necessário. Foi o David que morreu naquele dia, podia ter sido qualquer um de nós", declarou Francisco Manaio.

O caso de David Duarte, que deu entrada no São José com um aneurisma roto, motivou já a constituição de um grupo coordenador da Urgência Metropolitana de Lisboa para avaliar os "constrangimentos existentes" nos hospitais e preparar soluções que devem começar a ser aplicadas em fevereiro.

O PS e o PCP também já aprovaram um requerimento para ouvir o ministro da Saúde e os dirigentes da saúde demissionários na sequência deste caso.

David Duarte deu entrada no hospital de São José numa sexta-feira a necessitar de uma intervenção da área da neurocirurgia, tendo acabado por não ser intervencionado alegadamente por falta de equipa especializada.

Lusa

  • Caso de David não é único no SNS

    País

    Vários médicos e enfermeiros garantem que o caso de David Duarte, que morreu à espera de ser operado, não é caso único. Fonte do Hospital de São Josédisse ao jornal Expresso que houve mais quatro doentes com rotura de aneurisma que também não sobreviveram ao sábado e ao domingo de espera, desde abril de 2014.

  • Quatro hospitais em Lisboa podiam ter feito cirurgia a David Duarte
    1:38

    País

    Desde 2014 que não há equipas de neurocirurgia vascular de escala aos fins de semana no Hospital de São José, porque os enfermeiros e os técnicos se recusam a trabalhar devido aos cortes de 50% impostos pelo anterior Governo. No caso de David Duarte, na semana passada, havia quatro hospitais, três públicos e um privado, disponíveis em Lisboa para operar ruturas de aneurisma. Mas nenhum foi contactado pelo Hospital de São José para operar o jovem.

  • Família de David Duarte pondera apresentar queixa no Ministério Público
    2:18

    País

    A família de David Duarte pondera apresentar uma queixa formal ao Ministério público por uma morte que acreditam podia ter sido evitada. Desde 2013 que o ex-ministro da Saúde tinha conhecimento da falta de especialistas ao fim de semana para o tratamento de aneurismas cerebrais em São José. A Ordem dos Médicos e o Bloco de Esquerda garantem que fizeram repetidos alertas.

  • Mãe de David Duarte pede justiça e quer que morte do filho sirva de exemplo
    0:20

    País

    Zelia Fonseca, mãe de David Duarte, pede justiça e promete fazer tudo para que a morte do filho sirva de exemplo e não se repitam outros casos. David Duarte, 29 anos, foi internado no Hospital de S. José no dia 11 de dezembro, tendo-lhe sido diagnosticado uma hemorragia cerebral provocada por um aneurisma e a precisar de uma intervenção cirúrgica rápida. David Duarte acabaria por morrer sem ter sido submetido à cirurgia por falta de neurocirurgião.

  • Secretário de Estado diz que Ministério está a averiguar se houve mais mortes no S. José
    0:51

    País

    O secretário de estado da Saúde, Manuel Delgado, vem reforçar que o Ministério não tinha conhecimento do que se passava e que tudo será feito para corrigir a situação. David Duarte, 29 anos, foi internado no Hospital de S. José no dia 11 de dezembro, tendo-lhe sido diagnosticado uma hemorragia cerebral provocada por um aneurisma e a precisar de uma intervenção cirúrgica rápida. David Duarte acabaria por morrer sem a ter sido submetido à cirurgia por falta de neurocirurgião.

  • Presidente demissionário da ARS fala em cortes excessivos
    2:52

    País

    O Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que ontem apresentou a demissão, diz que os cortes no setor da saúde não permitiram ter recursos para responder às necessidades do jovem que morreu à espera de ser operado. Luís Cunha Ribeiro diz que a situação foi, entretanto, resolvida e que casos como o de David Duarte não vão repetir-se.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.