sicnot

Perfil

País

Ministro da Saúde compreende queixa-crime da família de jovem que morreu no S. José

O ministro da Saúde compreende a posição da família do jovem que morreu no Hospital de São José, em Lisboa, por alegada falta de assistência especializada, que hoje anunciou que vai apresentar uma queixa-crime.

À margem da cerimónia de posse do novo conselho diretivo do Infarmed, Adalberto Campos Fernandes disse aos jornalistas que esta decisão da família do doente é "compreensível" e que está a acompanhar estes últimos desenvolvimentos com "absoluta normalidade".

A família do jovem de 29 anos que morreu no Hospital São José, na madrugada de 14 de dezembro, vai apresentar uma queixa-crime "contra todos os envolvidos na cadeia de decisão" sobre a alegada falta de assistência ao jovem.

Em conferência de imprensa hoje em Lisboa, Francisco Manaio, tio de David Duarte, adiantou que a família pretende apurar todas as responsabilidades e saber se os meios do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foram bem geridos.

A advogada deste caso, Cristina Malhão, adiantou que a queixa vai ser entregue ao Ministério Público (MP), em meados da próxima semana.

Lusa

  • Caso de David não é único no SNS

    País

    Vários médicos e enfermeiros garantem que o caso de David Duarte, que morreu à espera de ser operado, não é caso único. Fonte do Hospital de São Josédisse ao jornal Expresso que houve mais quatro doentes com rotura de aneurisma que também não sobreviveram ao sábado e ao domingo de espera, desde abril de 2014.

  • Quatro hospitais em Lisboa podiam ter feito cirurgia a David Duarte
    1:38

    País

    Desde 2014 que não há equipas de neurocirurgia vascular de escala aos fins de semana no Hospital de São José, porque os enfermeiros e os técnicos se recusam a trabalhar devido aos cortes de 50% impostos pelo anterior Governo. No caso de David Duarte, na semana passada, havia quatro hospitais, três públicos e um privado, disponíveis em Lisboa para operar ruturas de aneurisma. Mas nenhum foi contactado pelo Hospital de São José para operar o jovem.

  • Família de David Duarte pondera apresentar queixa no Ministério Público
    2:18

    País

    A família de David Duarte pondera apresentar uma queixa formal ao Ministério público por uma morte que acreditam podia ter sido evitada. Desde 2013 que o ex-ministro da Saúde tinha conhecimento da falta de especialistas ao fim de semana para o tratamento de aneurismas cerebrais em São José. A Ordem dos Médicos e o Bloco de Esquerda garantem que fizeram repetidos alertas.

  • Mãe de David Duarte pede justiça e quer que morte do filho sirva de exemplo
    0:20

    País

    Zelia Fonseca, mãe de David Duarte, pede justiça e promete fazer tudo para que a morte do filho sirva de exemplo e não se repitam outros casos. David Duarte, 29 anos, foi internado no Hospital de S. José no dia 11 de dezembro, tendo-lhe sido diagnosticado uma hemorragia cerebral provocada por um aneurisma e a precisar de uma intervenção cirúrgica rápida. David Duarte acabaria por morrer sem ter sido submetido à cirurgia por falta de neurocirurgião.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.