sicnot

Perfil

País

Açores registam 62 ocorrências devido ao mau tempo

Os Açores registaram 62 ocorrências, até às 19:00 locais (mais uma em Lisboa) devido ao mau tempo das últimas horas, que atingiu de forma mais intensa o concelho de Ponta Delgada, referiu a Proteção Civil.

A ilha de São Miguel foi a mais fustigada, registando 50 ocorrências, tendo a ilha Terceira registado duas e Santa Maria 10, resultante da obstrução de vias, inundações, danos em algumas habitações, em várias vias públicas, derrocadas e deslizamentos de terras.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou as ilhas do grupo oriental dos Açores sob aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, devido a precipitação pontualmente forte que se fará sentir até às 22:00h locais, menos uma hora do que no continente.

O instituto emitiu ainda para as ilhas de São Miguel e Santa Maria (grupo oriental), um aviso amarelo relativo a trovoada, que estará em vigor até às 22:00 locais (menos uma do que no continente), tendo igualmente para o mesmo grupo sido emitido um aviso referente a vento que soprará de sul para sudoeste.

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, segundo a mesma fonte, mantém vários meios no terreno, designadamente corporações de bombeiros, assim como os serviços municipais de proteção civil, tendo sido igualmente contactadas a direção Regional das Obras Públicas, da Habitação e o Instituto de Segurança Social dos Açores.

De acordo com o gabinete de imprensa do Governo dos Açores, nos Arrifes e na Candelária, concelho de Ponta Delgada, já se procedeu ao realojamento de duas famílias, sendo que a estrada de acesso à Ribeira Quente, no concelho de Povoação, está interrompida, devido a uma derrocada.

A Câmara Municipal de Ponta Delgada refere, por seu turno, que o mau tempo já causou mais de duas dezenas de ocorrências na maioria das freguesias do concelho, sendo as mais preocupantes o rebentamento de fossas, destruição de margens de pequenas ribeiras, bem como a inundação de várias vias públicas.

O gabinete de imprensa do município revela que para a lagoa das Empadas e as estações das Sete Cidades e Mosteiros foram ativados os alertas amarelo e vermelho, respetivamente.

O alerta amarelo foi ativado por haver perigo relativamente ao movimento de terras nas freguesias das Capelas, Arrifes, Covoada, Relva e Feteiras, todas freguesias do concelho.

O alerta amarelo coloca-se também ao nível do perigo iminente de movimento de terras na freguesia dos Mosteiros, ainda de acordo com a nota da autarquia.

O alerta vermelho foi levantado no que respeita ao perigo no movimento de terras na freguesia das Sete Cidades.

Encontram-se no terreno, segundo o município, cerca de uma centena de homens das várias divisões da Câmara Municipal de Ponta Delgada, desde madrugada para, em colaboração com várias direções regionais do Governo dos Açores, solucionarem as ocorrências.

Estão envolvidos, também, nesta operação os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento, a Empresa de Eletricidade dos Açores, a PSP, Polícia Municipal de Ponta Delgada, bombeiros e juntas de freguesia.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31