sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede condenação de ex-vice-reitor da Universidade Independente

O Ministério Público afastou esta segunda-feira o crime de associação criminosa, mas pediu a condenação do ex-vice-reitor da Universidade Independente Rui Verde, do acionista Lima de Carvalho e de outros arguidos por ilícitos económico-financeiros.

(Arquivo)

(Arquivo)

Nas alegações finais do julgamento do processo da Universidade Independente (UNI), a procuradora Helena Nogueira considerou estar provado que Rui Verde praticou crimes de abuso de confiança, falsificação, burla qualificada, corrupção ativa, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Quanto a Amadeu Lima de Carvalho, alegado acionista maioritário da SIDES - Sociedade Independente para o Desenvolvimento do Ensino Superior, empresa detentora da já extinta UNI, a procuradora entendeu ter ficado provado a prática dos crimes de abuso de confiança, falsificação, burla, corrupção ativa, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

O Ministério Público considerou ainda provado que Elsa Velez, da contabilidade da SIDES, o advogado Horta Osório, Humberto Florêncio, Mota Veiga, Mafalda Arouca, Frederico Arouca, Joaquim Oliveira, Rui Oliveira, Maria Manuel Magalhães e Carlos Patrício, entre outros arguidos, praticaram crimes económicos que lhes estavam imputados, na acusação e pronúncia.

Alguns arguidos, incluindo Rui Verde e Horta Osório, enfrentam pedidos de indemnização cível.

Na sessão alegaram ainda os mandatários dos assistentes/lesados no processo, tendo a próxima audiência ficado marcada para 01 de fevereiro.

O antigo reitor da UNI Luís Arouca, que esteve no banco dos réus no decurso do primeiro julgamento, faleceu em novembro de 2014.

A necessidade de repetir o julgamento, por morte da juíza auxiliar Ana Wiborg, no verão de 2012, e o tempo decorrido relativamente aos factos ilícitos, levaram a procuradora a admitir que o tribunal considere estarem prescritos alguns dos crimes.

Apesar de indicar os crimes dados como provados e pedir a respetiva condenação, a procuradora não pediu ao coletivo de juízes, presidido por Ana Peres, qualquer pena concreta para os arguidos, justificando essa opção com a "grandeza" do processo e a diversidade de ilícitos em análise.

Assim, limitou-se a pedir a condenação dos arguidos, sem quantificar a pena a que devem ser condenados. Rui Verde e Amadeu Lima de Carvalho chegaram a estar em prisão preventiva.

Em fevereiro de 2009, após uma investigação iniciada em 2006, o MP acusou 26 arguidos por um conjunto de crimes de natureza económico-financeira, e deduziu um pedido de indemnização cível contra cinco arguidos, de montante superior a um milhão de euros.

A crise na UNI começou com suspeitas de irregularidades no funcionamento da instituição, tendo-se verificado, em fevereiro de 2007, sucessivas reviravoltas no controlo da instituição e da empresa SIDES, que detinha a universidade, revelando fações em litígio.

A instituição foi encerrada a 31 de outubro de 2007, por decisão do então ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, na sequência de dois processos: um de caducidade de reconhecimento de interesse público e outro de encerramento compulsivo por manifesta degradação pedagógica.

No primeiro julgamento -- que ficou sem efeito -, o MP tinha considerado que o ex-reitor Luís Arouca e os arguidos Rui Verde, Amadeu Lima de Carvalho e o ex-diretor financeiro Rui Martins praticaram deliberadamente atos ruinosos para a UNI, para o Estado e para terceiros.

No primeiro julgamento, que decorreu no tribunal de Monsanto, a defesa de Luís Arouca prescindiu da inquirição, como testemunha, do ex-primeiro-ministro José Sócrates, que concluiu o curso de engenharia na UNI.

Lusa

  • Julgamento da Univerdade Independente recomeça
    1:42

    País

    Recomeçou esta manhã o julgamento da Universidade Independente. O processo já esteve perto da decisão final mas teve que voltar à estaca zero depois da morte de uma das juízas do anterior coletivo. Entre as duas dezenas de arguidos estão os antigos responsáveis da Universidade - Luíz Arouca, Rui Verde e Amadeu Lima de Carvalho.

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC