sicnot

Perfil

País

Vila Nova de Cerveira destruiu 168 ninhos de vespa asiática em 2015

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira destruiu, em 2015, um total de 168 ninhos de vespa asiática, a maioria sinalizados em zonas rurais com a ajuda da população e dos apicultores do concelho, revelou esta segunda-feira aquela autarquia.

Esta espécie predadora foi introduzida na Europa através do porto de Bordéus, em França, em 2004. (Arquivo)

Esta espécie predadora foi introduzida na Europa através do porto de Bordéus, em França, em 2004. (Arquivo)

© China Stringer Network / Reuters

A "grande maioria" dos ninhos, especificou o município, foi encontrada "em árvores, havendo também alguns casos em habitações, muros e vegetação, sendo que o ninho com maior dimensão tinha 65 centímetros e o mais pequeno, apenas cinco centímetros".

"Desde o início do ano de 2016 só foram destruídos dois ninhos de vespa asiática, porque até março a espécie encontra-se em hibernação", explicou o município do distrito de Viana do Castelo.

O método de destruição dos ninhos daquela espécie invasora, descreveu, consiste "na introdução, no interior do ninho, de um isco impregnado em substância inseticida, com recurso a um dispositivo extensível", sistema que "se revelou mais eficaz" do que o anteriormente utilizado.

"A destruição é realizada por serviços contratados pela Câmara Municipal, que entre a data de avistamento e a data de desativação, procedem à destruição imediata", frisou.

Em 2014, segundo a autarquia, "o processo era efetuado através de uma substância inseticida e o ninho imediatamente retirado, numa operação noturna a uma distância muito curta do ninho", operação que podia demorar vários dias.

"Vila Nova de Cerveira, a par de Paredes de Coura, tem desencadeado uma sistemática desativação de ninhos de vespa velutina (vespa asiástica), numa lógica de ação de combate concertada que deveria envolver todos os municípios do Alto Minho, seguindo as indicações do Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina em Portugal, elaborado pela Direção-Geral de Alimentação e Veterinária e pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas", sustentou a autarquia.

Dados da Associação Apícola Entre Minho e Lima (APIMIL) indicam que cada ninho pode albergar até 2.000 vespas e 150 fundadoras de novas colónias, que no ano seguinte poderão vir a criar pelo menos seis novos ninhos.

Segundo os apicultores, esta espécie, "mais agressiva", faz com que as abelhas não saiam para procurar alimento por estarem sob ataque, enfraquecendo as colmeias, que acabam por morrer colocando em causa a produção de mel.

Esta espécie predadora foi introduzida na Europa através do porto de Bordéus, em França, em 2004.

Os primeiros indícios da sua presença em Portugal surgiram em 2011, mas a situação só se agravou a partir no final do seguinte. Viana do Castelo, capital do Alto Minho é o concelho com maior número de casos registados. De acordo com os últimos dados, desde 2012 foram sinalizados 1.098 ninhos de vespa asiática, dos quais 955 já foram destruídos.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.