sicnot

Perfil

País

Dois médicos do hospital de Elvas acusados de crime de violação das boas práticas médicas

Dois médicos do hospital de Elvas vão responder em tribunal por um crime de violação das boas práticas médicas durante a assistência a uma paciente que acabou por morrer.

A incidência de carcinoma da cabeça e pescoço foi de 50 novos casos por ano na população masculina, por 100 mil habitantes, e de 16 novos casos por ano na população feminina, com taxas de mortalidade de 19 e 3, respetivamente.(Arquivo)

A incidência de carcinoma da cabeça e pescoço foi de 50 novos casos por ano na população masculina, por 100 mil habitantes, e de 16 novos casos por ano na população feminina, com taxas de mortalidade de 19 e 3, respetivamente.(Arquivo)

© Regis Duvignau / Reuters

A paciente deu entrada no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, em agosto de 2013, queixando-se de dores de cabeça, tonturas, vómitos e diminuição da visão, sintomas que revelava há vários dias. A mulher foi medicada com anti-inflamatórios e analgésicos e enviada para casa.


Seis dias depois desmaiou e foi de novo transportada para o hospital onde lhe foi detectada uma hemorragia intracraniana. A paciente acabaria por morrer, dois dias depois.

Investigado o caso, o Ministério Público entende que os médicos falharam no primeiro atendimento à doente. Os magistrados entendem que, o quadro clínico que a doente apresentava, exigia a realização de uma TAC, exame que lhe poderia ter salvo a vida.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.