sicnot

Perfil

País

Tribunal confirma arquivamento do caso da morte de seis jovens no Meco

O Tribunal da Relação de Évora confirmou o arquivamento o processo sobre a morte de seis jovens universitários na praia do Meco, revelaram hoje à Lusa familiares das vítimas que prometem recorrer para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

"Vamos recorrer para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem", disse à Lusa António Soares, pai da jovem Ana Catarina Soares, que integrava o grupo de jovens que terão sido arrastados para o mar por uma onda, de acordo com a versão do antigo `dux´ da Universidade Lusófona de Lisboa, João Gouveia, único sobrevivente da tragédia e único arguido no processo.

"O processo começou mal desde o início. Acreditamos que havia muita gente interessada neste desfecho, mas isto é passar um atestado de estupidez às pessoas, porque ninguém acredita que os seis jovens tivessem sido arrastados por uma onda", corroborou Fernanda Cristóvão, mãe de Ana Catarina Soares, assegurando que não vai desistir de lutar para provar que aquilo que aconteceu na praia do Meco não foi um simples acidente.

Em março do ano passado, o Tribunal de Setúbal tinha mandado arquivar o caso por considerar que não tinham sido carreados para os autos factos novos que permitissem indiciar o `dux´ da Universidade Lusófona de Lisboa da prática de qualquer crime.

"Estes jovens (que morreram na praia do Meco) estavam lá porque queriam, porque gostavam, em torno de uma causa", disse, na altura, o juiz de instrução, argumentos que, segundo os familiares da Ana Catarina Soares, também terão sido considerados pelo Tribunal da Relação de Évora para justificar o arquivamento

Além do recurso para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, os familiares dos seis jovens também já avançaram com ações de responsabilidade civil - uma por cada um dos alunos que morreram - contra o João Gouveia e contra a Universidade Lusófona.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.