sicnot

Perfil

País

Sampaio diz que Guterres é um "excelente candidato" a secretário-geral da ONU

O ex-Presidente da República Jorge Sampaio disse hoje que António Guterres é um "excelente candidato" a secretário-geral das Nações Unidas e que é uma candidatura pela qual vale a pena lutar, mesmo não sendo um processo fácil.

António Guterres

António Guterres

© Denis Balibouse / Reuters

Em declarações aos jornalistas, à margem da conferência internacional "Love Synapses -- Building Strong Children, Families and Communities, que decorreu hoje, em Lisboa, Jorge Sampaio congratulou-se com a candidatura do ex-Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados António Guterres a secretário-geral da ONU.

"Acho que era um passo que tem que ser dado. O engenheiro António Guterres é um excelente candidato por todas as razões que são conhecidas e ditas", apontou Jorge Sampaio.

Lembrou que a candidatura "é um processo difícil", defendendo, por isso, que haja um "empenhamento a sério" e lembrando que as "consequências estão obviamente dependentes de muitos fatores externos que Portugal não controla".

"Se Portugal estiver devidamente empenhado e com o papel que tem tido internacionalmente, e que ele [António Guterres] tem tido internacionalmente, sobretudo, eu penso que é uma coisa pela qual vale a pena lutar e que prestigia Portugal, naturalmente", defendeu o ex-Presidente da República.

Jorge Sampaio entende que "a possibilidade existe", mas não deixou de alertar que "não vai ser nada fácil", apontando que não vale a pena ter essa ilusão.

"É um excelente candidato e portanto é uma honra para Portugal ter este candidato e ter a possibilidade de vir a acontecer uma coisa deste género", acrescentou.

Num comunicado divulgado na semana passada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Governo anunciou que vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas.

A candidatura do ex-primeiro-ministro António Guterres ao posto de secretário-geral das Nações Unidas junta-se a várias outras já oficialmente apoiadas pelos governos da Bulgária, Croácia, Macedónia ou Eslovénia.

Na Carta das Nações Unidas estabelece-se que o cargo de secretário-geral é designado pela Assembleia Geral da organização, depois de aprovado pelo Conselho de Segurança, onde tem que passar pelo crivo dos cinco países com assento permanente e poder de veto: Estados Unidos da América, Reino Unido, Rússia, França e China.

António Guterres foi alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados durante dez anos, tendo terminado o mandato em final de 2015.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.