sicnot

Perfil

País

Cerca de 5.300 alunos do 4º ano vão fazer testes internacionais de leitura

Cerca de 5.300 alunos do 4º ano vão realizar dois exames internacionais que avalia a compreensão da leitura, o Progress in International Reading Literacy Study (PIRLS), revelou hoje o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE).

© Jorge Silva / Reuters

Este ano, realiza-se pela primeira vez, o teste ePIRLS, um estudo que vai avaliar se as crianças desta faixa etária conseguem ler e utilizar a informação que leem online.

A prova é feita em formato digital e os resultados irão permitir aferir se estes alunos têm capacidade e competências para utilizar as novas tecnologias de informação em processos de ensino e aprendizagem.

Os estudos PIRLS e "ePIRLS" vão decorrer entre 01 de fevereiro e 18 de março, prevendo-se a participação de 220 escolas e cerca de 5.300 alunos.

O PIRLS é um estudo internacional, desenvolvido pela International Association for the Evaluation of Educational Achievement, que avalia a compreensão da Leitura dos alunos do 4.º ano de escolaridade.

Além dos testes, são aplicados questionários que recolhem informação de contexto e outros fatores que podem influenciar o desempenho em literacia de Leitura.

O PIRLS realiza-se de cinco em cinco anos, tendo sido feito pela primeira vez em 2001, o que permite analisar tendências dos resultados e fazer uma caracterização dos ambientes familiar e escolar em que os alunos aprendem a ler nos vários países.

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.