sicnot

Perfil

País

DGS garante que casos de sarna nas escolas não configuram risco de saúde pública

A Direção-Geral da Saúde esclareceu hoje que os casos de sarna nas escolas não justificam o encerramento dos estabelecimentos de ensino, nem quarentena obrigatória de crianças infetadas, por não configurar risco de saúde pública nacional e ser facilmente tratável.

Arquivo SIC

Quanto às razões para estar a aumentar o número de casos de escabiose (sarna) em escolas da região de Lisboa, a sub-diretora geral da Saúde, Graça Freitas, disse desconhecer se efetivamente se está a verificar um aumento ou se é um caso de "epidemia mediática", porque se começou a falar e a noticiar o assunto.

A verdade, disse à Lusa, é que "há frequentemente" casos de sarna - uma doença de pele contagiosa causada por um ácaro e que dá comichão intensa -- mas que não são noticiados.

Contudo, a responsável salvaguardou que, mesmo que se esteja a verificar um aumento de casos relativamente aos anos anteriores, não é a um nível que implique uma "epidemia nacional".

"É controlável com tratamento e passa rapidamente. Não configura um risco nacional para a saúde pública. Se aumentar, poderemos considerar uma intervenção [ao nível da DGS], mas para já não", afirmou.

Por enquanto, a sarna nas escolas é gerida a nível dos centros de saúde. A intervenção está a cargo dos ACES (agrupamentos de centros de saúde) e das ARS (administrações regionais de saúde).

Nas escolas em que há crianças com sarna, a solução passa por trata-las a todas, já que é uma doença "simples e de tratamento rápido".

"Tem é que ser feito o tratamento a sério", sublinhou, acrescentando que as orientações de saúde que existem para as escolas não contemplam a sarna como uma das doenças em que é necessário colocar a criança de quarentena.

Graça Freitas disse que cabe ao médico, se assim o entender, recomendar que a criança doente fique em casa durante 24 horas, após iniciar o tratamento, mas as escolas não podem vedar o seu acesso.

O próprio decreto regulamentar sobre as "doenças transmissíveis que originam evicção escolar" determina que "a sarna não consta da lista das doenças que afastam temporariamente da frequência escolar e demais atividades de ensino os discentes, pessoal docente e não docente".

No total já foram diagnosticados mais de 30 casos de sarna confirmados.

Só em Cascais há registo de 23 e em Alenquer registaram-se desde outubro seis. A estes juntam-se mais três em Loures, um na Póvoa de Santo Adrião e três em Leiria, noticiados hoje pelo Correio da Manhã.

Lusa

  • Cinco casos de sarna em escola de Cascais
    1:15

    País

    Desde o início do ano que já apareceram cinco casos de sarna na Escola Básica de Cascais. O caso foi prontamente comunicado às autoridades de saúde que entenderam não haver motivo para encerrar o estabelecimento de ensino. Já na semana passada a SIC deu conta de vários casos de sarna numa escola do Carregado.

  • Sete casos de sarna no Centro Escolar do Carregado
    3:48

    País

    Há sete casos de sarna no Centro Escolar do Carregado, uma escola com 530 crianças. O primeiro surgiu em outubro, mas os encarregados de educação só foram alertados na semana passada depois de terem pedido uma reunião ao coordenador da escola.

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contigo" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.