sicnot

Perfil

País

Empresas de crédito especializado alvo de buscas por suspeitas de práticas anticoncorrenciais

A Autoridade da Concorrência (AdC) fez esta sexta-feira buscas em várias empresas de crédito especializado na região da Grande Lisboa por suspeitas de práticas anticoncorrenciais, disse à Lusa fonte do regulador.

(Arquivo)

(Arquivo)

Foram alvo das buscas -- algumas das quais ainda a decorrer -- 13 instalações de empresas ligadas ao crédito especializado, como o 'leasing' (locação financeira), o 'factoring' (aquisição de créditos de curto prazo, resultantes do fornecimento de bens ou serviços) e o 'renting' (aluguer operacional de viaturas), detalhou a mesma fonte.

Nas buscas, que contaram com a colaboração do DIAP e do Tribunal de Instrução Criminal, estão envolvidos cerca de três dezenas de técnicos da AdC, acompanhados por vinte magistrados.

Num comunicado entretanto divulgado, a AdC acrescenta que as diligências de busca e apreensão surgiram no âmbito de duas investigações relacionadas com a "verificação de indícios de práticas anticoncorrenciais de troca de informação comercial sensível no setor do crédito especializado, que fundamentam suspeitas de infração à Lei da Concorrência e ao Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia".

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41