sicnot

Perfil

País

Bilheteira online para acesso aos passadiços do Paiva arranca na quarta-feira

A bilheteira online para os Passadiços do Paiva, em Arouca, estará funcional a partir de quarta-feira e deverá emitir até 3.500 bilhetes por dia, para garantia de segurança dos visitantes e evitar níveis de afluência "nefastos para o ambiente".

Os oito quilómetros dessa estrutura chegaram a receber cerca de 8.000 pessoas por dia antes de encerrarem devido a um incêndio em setembro, mas, a partir de 13 de fevereiro, o acesso ao local só será permitido a quem possuir um bilhete para o efeito - comprado previamente na internet ou, em caso de vagas, adquirível no próprio dia da visita, mas só em dois locais de Arouca.

Para o presidente a autarquia, José Artur Neves, esse mecanismo de controlo de entradas revela-se "a melhor forma de manter o equilíbrio do sistema a diferentes níveis", começando pelo que se refere à segurança do público.

"Estávamos a assistir a uma massificação desenfreada da procura e isso ia tornar-se um problema, porque nem as pessoas podiam apreciar devidamente o local com tanta gente a circular, nem nós podíamos garantir eventuais procedimentos de segurança se não soubéssemos ao certo quantos visitantes andavam a circular pelo passadiço", explica.

"Além disso, essa afluência estava a tornar-se nefasta para o habitat natural da zona, que exige contenção, silêncio e respeito, o que se conseguirá mais facilmente agora, já que 3500 pessoas dispersas ao longo de todo o dia por oito quilómetros causam muito menos impacto do que vinha acontecendo até aqui", acrescenta.

Na prática, os interessados em visitar o passadiço ao longo das margens do Paiva deverão aceder ao site www.passadicosdopaiva.pt e escolher o dia de visita ao local e o número de entradas pretendidas. Através de pagamento multibanco (ou cartão de crédito, futuramente), tanto crianças como adultos pagarão 1 euro pelo acesso à estrutura, sendo que cidadãos com residência no concelho poderão adquirir um livre-trânsito por 2,5 euros.

O número de visitantes autorizado em cada dia é 3.500, mas operadores turísticos poderão obter acesso ao passadiço para além desse limite, requisitando-o através de um canal específico. Para oportunidades de última hora, "a pensar em quem possa estar em Arouca por outros motivos e decida repentinamente visitar o Paiva", também será possível adquirir bilhete para o próprio dia, mas, nesse caso, a compra só é possível já no concelho, na Loja Interativa de Turismo ou no Bar do Areínho, num dos extremos do percurso pedonal em causa.

Um troço do trajeto sobre o rio permanecerá acessível gratuitamente, numa extensão de cerca de 1.000 metros entre a praia do Areínho e o topo da Garganta do Paiva.

A aquisição do bilhete será confirmada, por sua vez, com um código de barras que o visitante terá que apresentar impresso ou no telemóvel a um dos funcionários que agora controlarão o acesso ao passadiço, entre as 09:00 e as 17:00 no horário de inverno (vigente até final de março) e depois entre as 07:30 e as 20:00, no período de verão.

José Artur Neves acredita que o sistema "vai funcionar muito bem" e que a entrada paga não será impedimento à visita, dado que a autarquia tem registado "imensa procura" por agências de viagens e operadores turísticos. "O site já foi consultado por interessados de 141 países e um dos primeiros grupos que vamos ter agora na reabertura, por exemplo, é de turistas israelitas, uma nacionalidade que nem é muito comum por cá", realça.

Quanto à receita a arrecadar com as visitas, o presidente da Câmara afirma que essa será aplicada na remuneração dos novos postos de trabalhos criados pela estrutura e na manutenção do próprio passadiço. "Será um valor irrisório, mas não deixa de ser uma ajuda", declara.

Lusa

  • Manuel Pinho suspeito de quatro offshores e pelo menos 1M€ em luvas do GES
    1:31
  • Fim de semana de chuva, trovoada e granizo
    0:50

    País

    O mau tempo está de regresso este fim de semana, sobretudo no sul do continente e na Madeira. Esta manhã, Faro acordou com uma chuva intensa de granizo, com quedas de árvores e pequenas inundações.

  • As imagens do granizo que caiu no Algarve
    0:47

    País

    Faro acordou hoje com uma intensa queda de granizo. Pedras de gelo, com cerca de meio centímetro de diâmetro, em especial entre as 06:30 e as 07:00 da manhã. Segundo o IPMA tratou-se de "uma linha de instabilidade" que foi subindo a norte, para os distritos de Beja e Setúbal, mas com menos intensidade" e que provocaram inundações pontuais na via publica e em garagens e algumas quedas de árvore.

  • Alunos trocam aulas pelas ruas contra armas nos EUA
    2:43
  • Rainha Isabel II faz hoje 92 anos
    2:36
  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59