sicnot

Perfil

País

Cinco barras fechadas e duas condicionadas devido à agitação marítima

Cinco barras do continente estão hoje fechadas à navegação e outras duas condicionadas devido à previsão de agitação marítima forte, de acordo com informação disponível na página da Marinha na Internet.

ANTÓNIO ARAÚJO

Segundo a Marinha portuguesa, as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa de Varzim e São Martinho do Porto estão hoje fechadas a toda a navegação devido à agitação marítima, com ondas que podem chegar aos 3,5metros.

A Marinha indica também que a barra da Figueira da Foz está fechada a embarcações com calado inferior a 35 metros e em Vila do Conde as embarcações devem navegar apenas duas horas antes e depois da preia-mar.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje na costa ocidental ondas de noroeste com 2,5 a 3,5 metros e na costa sul ondas de sudoeste inferiores a 1 metro.

Quanto ao estado do tempo, o instituto prevê para o continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade nas regiões norte e centro até meio da manhã e vento em geral fraco do quadrante norte, soprando moderado na faixa costeira ocidental, em especial durante a tarde.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal, que poderá persistir em alguns locais do nordeste transmontano e da Beira Alta, pequena descida da temperatura mínima no litoral norte e centro e subida na região sul.

Em Lisboa, as temperaturas vão oscilar entre 10 e 16 graus celsius, no Porto, entre 08 e 15, em Viana do Castelo entre 07 e 15, em Vila Real, entre 06 e 13, em Viseu, entre 06 e 16, em Bragança, entre 05 e 12, na Guarda, entre 05 e 11, em Coimbra, entre 09 e 16, em Leiria, entre 08 e 17, em Santarém, entre 07 e 18, em Castelo Branco, entre 08 e 17, em Portalegre, entre 05 e 17, em Évora, entre 08 e 17, em Beja, entre 08 e 18 e em Faro, entre 12 e 21.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19