sicnot

Perfil

País

GNR registou mais de 2300 crimes ligados à internet em 2015

A GNR registou mais de 2300 crimes, associados à internet, em 2015, sendo as principais denúncias as burlas relacionadas com informática, comunicações e fraude bancária, segundo dados divulgados à agência Lusa.

Os dados foram divulgados por ocasião do Dia Europeu da Internet Segura, que se comemora todos os anos em fevereiro. (Arquivo)

Os dados foram divulgados por ocasião do Dia Europeu da Internet Segura, que se comemora todos os anos em fevereiro. (Arquivo)

Damian Dovarganes / AP

No âmbito do cibercrime, a GNR registou, em 2015, 1.360 crimes de burla informática e nas comunicações, e 706 de burla com fraude bancária.

Além destes crimes ligados à internet, aquela força de segurança recebeu ainda 190 denúncias relacionadas com a devassa da vida privada e violação de segredo, 120 de devassa da vida privada, por meio informático, e 11 de acesso indevido ou ilegítimo.

Os dados foram divulgados por ocasião do Dia Europeu da Internet Segura, que se comemora todos os anos em fevereiro.

Para assinalar a data, a GNR e a Microsoft Portugal promovem, na terça-feira, centenas de sessões, em todo o país, para alertar sobre os perigos do mundo 'online' e formas seguras de navegação na internet, numa ação que vai envolver cerca de 200 escolas, 75.000 crianças e jovens e 600 pais e encarregados de educação.

Pela primeira vez, a ação vai também incluir a população sénior, num total de 300 pessoas.

A sessão principal vai decorrer na Escola da Guarda, em Queluz, através da realização de uma aula interativa sobre segurança 'online', para 360 alunos do primeiro, segundo e terceiro ciclos de escolas dos concelhos de Sintra e Lisboa, além de 120 seniores.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.