sicnot

Perfil

País

Utilizadores de bicicleta querem ciclovias e transportes públicos na Segunda Circular

A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) defendeu esta segunda-feira que o projeto da Câmara de Lisboa para remodelação da Segunda Circular deve contemplar ciclovias e apostar nos transportes públicos.

"Em nosso entender, deverão criar-se condições para que outros modos de transporte possam também aí circular com maior prioridade, como o transporte público e os modos suaves (bicicleta e andar a pé)", sustenta a FPCUB na posição enviada à autarquia e hoje divulgada.

Tendo o intuito de melhorar a fluidez do tráfego e conferir mais segurança à Segunda Circular, a maioria PS na Câmara de Lisboa propôs-se a requalificar a via, o que passa por diminuir em 10% o tráfego de atravessamento, através da reformulação de alguns acessos e dos nós de acesso, e por reduzir a velocidade de 80 para 60 quilómetros/hora.

O município quer também criar um separador central maior e arborizado, reduzir a largura da via da direita, montar barreiras acústicas (reduzindo o ruído em 50%), reabilitar a drenagem e do piso e renovar a sinalética e a iluminação pública (permitindo uma quebra de 60% no consumo).

"Com estas condições de tráfego e a alteração das condições físicas [...] é expectável que haja transferências modais do modo motorizado individual para modos alternativos, nos quais se incluem os transportes públicos e a bicicleta", refere a federação, sugerindo uma "intervenção mais aprofundada" para inverter a atual tendência de utilização do transporte individual.

Na mesma informação, a FPCUB defende que, "com o desincentivo do recurso ao automóvel e a promoção de modos de transporte alternativos, será expectável o aumento da utilização das infraestruturas cicláveis, quer na zona do Fonte Nova/Colombo, quer na zona do Campo Grande/Avenida Do Brasil, pelo que seria importante dedicar espaços a estes modos, também na própria Segunda Circular".

"A FPCUB reconhece que há esta tentativa de ordenar a Segunda Circular para uma avenida urbana, logo mais condições para se poder circular de bicicleta, mas isso obriga a que no perfil transversal possa ser equacionada essa possibilidade", adianta.

Apesar de apoiar a "promoção da fruição de espaço público" e, por conseguinte, a "execução de mais espaços de estadia e lazer para o peão e restante mobilidade suave", o organismo alerta o município para a "necessidade de uma gestão de tráfego integrada, que acompanhe os eventuais impactes negativos, fruto do aumento de tráfego rodoviário nas vias de acesso local a sul da Segunda Circular".

Também hoje, a Ordem dos Engenheiros divulgou observações para submeter à autarquia, que resultam de um debate realizado na passada segunda-feira.

Dessas considerações consta a "especial preocupação [com] a solução adotada para o separador central", por não prever "um adequado sistema de retenção de veículos".

A Ordem dos Engenheiros recomenda ainda uma melhor avaliação das "consequências e os efeitos sobre eventuais congestionamentos nas vias envolventes e sua adequabilidade ao acréscimo de tráfego" e uma "nova auditoria de segurança ao projeto".

Orçadas em 12 milhões de euros, as obras devem iniciar-se em junho, durando 11 meses.

Lusa

  • Bicicletas nas cidades
    3:29

    Economia Verde

    No centro de Lisboa, junto à ciclovia da Avenida Duque de Ávila, há um novo espaço para os amantes das bicicletas.Chama-se "Velocité Café" e é ao mesmo tempo um local de refeições, uma loja e uma oficina, lançado por um utilizador deste meio de transporte na capital. Com apenas alguns meses de vida, já se tornou um dos pontos de encontro da crescente comunidade de ciclistas urbanos. E quem chega de bicicleta não precisa de a deixar à porta...

  • E poder andar a pé e de bicicleta na Ponte 25 de abril?
    3:40

    Economia Verde

    Ligar Lisboa e Almada através de uma plataforma que sirva de ciclovia e de passagem pedonal. É esta a ambição do projeto "AlmaLisboa", que aspira tornar a ponte 25 de abril mais atrativa para o turismo, com vantagens económicas para ambas as cidades, mas acima de tudo permitir que a ligação entre as duas margens do rio Tejo possa ser feita a pé, ou de bicicleta.

  • Debate quinzenal no Parlamento: veja em direto e comente

    País

    As políticas de descentralização foram o tema escolhido pelo Governo para o debate quinzenal, mas a situação na Caixa Geral de Depósitos também deve marcar os trabalhos na Assembleia da República. Acompanhe aqui a discussão e participe no Minuto a Minuto SIC/Parlamento Global.

    Direto

  • Prioridades para a CGD: cortar custos e aumentar receitas
    2:16

    Caso CGD

    O principal objetivo do plano estratégico para a Caixa Geral de Depósitos, a que a SIC teve acesso, é cortar custos e aumentar receitas. A grande aposta da nova administração passa por apertar as regras para emprestar dinheiro e, por outro lado, recuperar o crédito que não está a ser pago.

  • Turismo da Madeira investe mais de 3 milhões de euros no programa de festas
    2:22

    País

    A Madeira já vive a época de Natal. O turismo da região investiu mais de 3 milhões de euros no programa de festas de Natal e Fim de Ano para atrair os turistas. Os residentes e também turistas aproveitam para desfrutar do ambiente mágico proporcionado pelas tradicionais iluminações à mistura com as decorações e gastronomia típicas da quadra.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.