sicnot

Perfil

País

Ministério devolve a docentes dinheiro pago pela prova de avaliação

O Ministério da Educação vai devolver a todos os professores o dinheiro gasto com a realização da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC), mas não irá rever as listas dos concursos para colocação nas escolas.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

No final de uma reunião realizada segunda-feira entre representantes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e do Ministério da Educação (ME), a estrutura sindical revelou a promessa dada pelo ministério de compensar os docentes contratados que tinham ficado impedidos de dar aulas por causa da PACC.

Em resposta à agência Lusa, o ME confirmou a informação, garantindo que "serão ressarcidas as despesas efetuadas no âmbito da realização da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC)", um exame que era exigido aos docentes com menos de cinco anos de serviço para se poderem candidatar a dar aulas.

A decisão de ressarcir os professores aplica-se a todos os docentes e não apenas àqueles que reprovaram e ficaram impedidos de se candidatar a dar aulas.

Prevista na lei desde 2007, a PACC começou a ser aplicada pelo anterior ministro da Educação Nuno Crato mas, entretanto, a medida foi considerada inconstitucional e revogada no parlamento.

Os docentes que chumbaram ou que não a chegaram a realizar ficaram impedidos de concorrer a dar aulas e os sindicatos queriam que esta situação fosse corrigida.

Mas, neste caso, a situação irá manter-se tal como está, uma vez que o ME entende ser impossível reconstituir a situação profissional destes docentes.

"Relativamente à hipótese de reconstituição do percurso profissional dos docentes que reprovaram na dita prova, e que por isso ficaram excluídos das listagens de contratação, o Ministério da Educação entende que seria inexecutável uma reconstituição da situação profissional destes docentes, porquanto não é possível saber com segurança o resultado hipotético de um concurso que não chegou a acontecer", explicou o ME em resposta à Lusa.

Lusa

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19

    Mundo

    O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos recebeu ao início da tarde na Noruega o prémio pelo trabalho que desenvolveu junto das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, FARC. As cerimónias são este sábado e marcadas pela ausência do Nobel da Literatura, Bob Dylan.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.

  • Sol e calor ficam para o Natal
    1:50

    País

    Com o Natal à porta, o sol teima em ficar um pouco por todo o país. Até a norte as temperaturas estão altas para esta época do ano com o distrito do Porto a rondar os 18 graus.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10