sicnot

Perfil

País

Parlamento vai ouvir autarquias e veterinários para acabar com abates em canis

O grupo de trabalho parlamentar criado para deliberar sobre duas propostas que pretendem acabar com o abate de animais em canis municipais decidiu esta quarta-feira ouvir os municípios, as freguesias e os veterinários, entre outras entidades, nomeadamente associações de animais.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Mariana Bazo / Reuters

Entre as entidades que o Parlamento quer ouvir estão a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), a Associação Nacional de freguesias (Anafre), a Ordem dos Médicos Veterinários, a Associação Nacional de Veterinários Municipais e a Direção Geral de Veterinária.

Os deputados pretendem também ouvir a PSP, a GNR, a Autoridade Nacional de Proteção Civil, diversas associações de defesa dos animais e também criadores de animais, nomeadamente de raças caninas portuguesas.

Em causa estão dois projetos de lei, um proposto pelo PAN a partir de uma iniciativa de uma plataforma de cidadãos e outro do PCP.

A iniciativa legislativa de cidadãos, apoiada pelo partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), pretende acabar com os abates nos canis de animais de companhia, estando associadas medidas como a regulamentação da criação de animais e a sua comercialização.

Entre outras medidas, defende a promoção da adoção de animais e campanhas de esterilização.

A proposta de projeto de lei do Partido Comunista Português (PCP) pretende aprovar "medidas para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais e para a modernização dos serviços municipais de veterinária".

As propostas foram aprovadas a 11 de dezembro no parlamento e baixaram à Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, estando em trabalhos de especialidade até meados de março, após o que deverão voltar à discussão e votação na generalidade.

Lusa

  • Associação alemã vem a Portugal buscar animais para adoção
    2:57

    País

    Há três anos que uma associação de proteção animal da Alemanha vai a Torre de Moncorvo buscar cães abandonados para serem enviados para adoção nesse país. A associação alemã foi alertada para a situação de abandono e já salvou mais de 100 animais do abate. Os animais têm de estar vacinados e identificados para viajar para a Alemanha e o canil de Moncorvo exige termo de responsabilidade que garanta adoção.

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC