sicnot

Perfil

País

DouroAzul vai construir mais dois navios-hotel para o Douro e outro para a Amazónia

A DouroAzul anunciou hoje a construção de mais dois navio-hotel para o Douro, num investimento acima de 25 milhões de euros, e outro para navegar na Amazónia, num investimento global de 26 milhões de euros, todos operacionais em 2017.

© Reuters Photographer / Reuter

A Mystic Invest, 'holding' do grupo DouroAzul, procedeu à emissão de um empréstimo obrigacionista sénior, no montante total de 37,5 milhões de euros, com maturidade de sete anos, a taxa variável e garantia de subscrição assegurada por um sindicato bancário que integra a Caixa Geral de Depósitos (CGD), o Montepio e o Banco Carregosa.

A emissão de obrigações decorre em duas fases, sendo que a primeira, de 20 milhões de euros, iniciou-se hoje.

Esta emissão de empréstimo obrigacionista tem como objetivo "suportar o crescimento do grupo DouroAzul", refere a empresa, em comunicado.

Entre os projetos estão a construção de mais dois navios-hotel para operarem no rio Douro e a concretização do projeto de cruzeiros no rio Amazonas, com base no Peru, navegando até à Colômbia e Brasil, com a construção de luxuoso navio-hotel, adianta a empresa.

"As três embarcações estarão prontas para operar em 2017", adianta.

A construção de mais dois navio-hotel para o Douro, que terá 63 cabines duplas, irá implicar um investimento acima dos 25 milhões de euros, "devendo as duas embarcações estar operacionais em março do próximo ano", refere.

Já o navio-hotel para a Amazónia, com 90 cabines de luxo e uma capacidade para 180 passageiros, "mobilizará um investimento global de 26 milhões de euros e operará no rio Amazonas em cruzeiros de oito dias, envolvendo paisagens tropicais luxuriantes e inexploradas até ao momento por um navio com estas características", detalha a DouroAzul.

O ano de 2017 "será muito importante" para o grupo, que além do reforço no rio Douro e o arranque da operação na Amazónia, vai ainda inaugurar, em abril desse ano, a "mais recente unidade hoteleira de cinco estrelas no Porto, o Monumental Palace Hotel, mais concretamente na avenida dos Aliados", que resulta de um investimento de 20 milhões de euros.

As obrigações Mystic Invest 2016-2023 foram hoje admitidas no EasyNext Lisbon, da Euronext Lisbon.

A DouroAzul, que integra o grupo Mystic Invest, foi fundada em 1993 e é o maior operador de cruzeiros fluviais em Portugal, com uma frota de 11 navios-hotel de luxo e atividade no setor do turismo e lazer, com especial enfoque no segmento dos cruzeiros fluviais, que representam 98% do seu volume de vendas.

Em 2015, a Mystic Invest adquiriu a operadora alemã Nicko Cruises, que opera 19 navios em 12 países e três continentes, tornando-se num dos 'players' europeus no segmento de 'river cruising'.

Sendo os cruzeiros de luxo o 'core business' (negócio estratégico) do grupo Mystic Invest, este detém ainda várias empresas e marcas que operam setores como 'sightseeing tours', heliturismo e 'hotels & resorts', para além da Mystic Cruises, que irá operar cruzeiros ao longo do rio Amazonas.

Lusa

  • Pedrógão e o Governo das culpas dos outros

    Opinião

    Depois das revelações do ‘Expresso’ e do ‘i’, o primeiro-ministro e os ministros saíram à rua com uma estratégia muito bem definida: desmentir a existência de listas secretas e centrar as atenções no Ministério Público. Ao mesmo tempo, nas redes sociais, está em curso (mais) uma campanha contra os jornalistas. Os anónimos, com cartão de militante, que escrevem nessas páginas acusam os jornais das “mais rebuscadas teorias da conspiração”. Nada de novo portanto.

    Bernardo Ferrão

  • "A verdadeira questão são as imagens com que abrimos o Jornal, é um país que está a arder"
    2:52

    Opinião

    A polémica em torno do número de vítimas da tragédia de Pedrógão Grande esteve em análise no Jornal da Noite. Miguel Sousa Tavares diz não compreender "que se faça disto uma questão política" e reitera que o foco deve centrar-se nas imagens de "um país que está a arder". O comentador SIC afirma ainda que "64 mortos num incêndio é um escândalo, um número absurdo".

    Miguel Sousa Tavares

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • Quase mil bombeiros combatem chamas na Sertã
    1:37

    País

    O incêndio que deflagrou no domingo, na Sertã, concelho de Castelo Branco, ainda não foi extinto. Perto de mil homens combatem as chamas no terreno, apoiados por 10 meios aéreos. O fogo tem frentes em Mação e Proença-a-Nova.

  • Proteção Civil acusada de gestão errática no incêndio de Mação
    1:26

    País

    O comandante dos Bombeiros de Constância e o vice-Presidente da Liga dos Bombeiros acusam a Proteção Civil de desviar meios do fogo de Mação, em Santarém, que eram essenciais para travar o incêndio. As chamas desceram da Sertã e acabaram por queimar uma casa de habitação.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12
  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.