sicnot

Perfil

País

Arguidos do caso TUB em liberdade mediante pagamento de caução

Os cinco arguidos do processo de corrupção nos Transportes Urbanos de Braga ficam em liberdade, mediante o pagamento de uma caução. Vitor Sousa, o ex-vice-presidente da Câmara de Braga, terá de pagar 100 mil euros para sair em liberdade.

SIC

Segundo a juíza de instrução criminal no Tribunal de Braga, Vítor Sousa está "fortemente indiciado" de corrupção passiva para ato ilícito e de administração danosa.

O antigo autarca e ex-administrador dos TUB fica ainda proibido de se ausentar do país, tendo de entregar o seu passaporte.

Terá também de se apresentar quinzenalmente, às sextas-feiras, no posto policial da sua área de residência.

Cândida Serapicos, ex-vogal da administração dos TUB e "fortemente indiciada" dos mesmos crimes de Vítor de Sousa, fica também em liberdade, mediante o pagamento de uma caução de 27 mil euros.

Tem também de entregar o passaporte e de se apresentar quinzenalmente à polícia.

No processo, é também arguido Luís Vale, diretor dos TUB, igualmente "fortemente indiciado" de corrupção passiva para ato ilícito e administração danosa.

Tem de pagar uma caução de 23 mil euros para ficar em liberdade, tendo ainda de suspender funções, de entregar o passaporte e de se apresentar na polícia de 15 em 15 dias.

Os outros dois arguidos no processo são dois "altos quadros" da empresa MAN, "fortemente indiciados" de corrupção ativa corrupção em prejuízo do comércio internacional e de administração danosa e de corrupção ativa.

Ambos têm de se apresentar quinzenalmente na polícia.

Os arguidos ficam ainda proibidos de qualquer contacto entre eles, com funcionários da MAN, que tem sede na Alemanha e dos TUB e com outros envolvidos no processo.

A detenção dos cinco arguidos ocorreu na quinta-feira, no cumprimento de mandados emitidos no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público - Departamento de Investigação e Ação Penal de Braga.

Segundo um comunicado da Polícia Judiciária, os administradores dos TUB terão recebido "várias centenas de milhares de euros" como "contrapartidas" por alegadamente beneficiarem a MAN na aquisição de autocarros.

Ainda de acordo com a PJ, aqueles responsáveis dos TUB "presumivelmente viciaram, durante cerca de meia dúzia de anos, os procedimentos concursais para aquisição de viaturas pesadas de transporte de passageiros".

A ideia seria "beneficiar" a MAN, empresa que também foi constituída arguida neste processo.

Com Lusa

  • Medidas de coação do processo TUB conhecidas esta tarde
    2:13

    País

    Os cinco arguidos do alegado caso de corrupção na compra de autocarros para os Transportes Urbanos de Braga, conhecem, esta tarde, as medidas de coação que lhes vão ser aplicadas. Ontem à tarde, a juíza de instrução criminal interrogou Vitor Sousa, antigo braço direito de Mesquita Machado e ex-adminsitrador da empresa bracarense de transportes.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC