sicnot

Perfil

País

Jardim julgado no Funchal por difamação e injúrias contra historiador

O ex-presidente do Governo da Madeira, Alberto João Jardim, é julgado a 17 fevereiro pelos crimes de difamação, injúrias e abuso de liberdade de imprensa contra o historiador e militante do PS António Fernandes Loja.

Alberto João Jardim, ex-presidente do Governo da Madeira.

Alberto João Jardim, ex-presidente do Governo da Madeira.

© STR New / Reuters

A data foi hoje avançada à Lusa por fonte ligada ao processo.

O julgamento está marcado na Instância Local da Comarca da Madeira e em causa estão expressões que foram utilizadas por Alberto João Jardim em dois artigos de opinião - sob o título "A loja dos rancores" - publicados no Jornal da Madeira a 23 e 26 de novembro de 1994, consideradas por António Loja "atentatórias do seu bom nome, honra e consideração".

"Era marxista há menos de oito dias, agora é só interpretação histórica"; "o homenzinho é mesmo tira-casaca"; "tão pirado que não vê as próprias grosserias e descobre-as nos outros"; "não fui eu que andei com perseguições após o 25/4"; "nunca andei a espreitar funcionários policialmente"; "a criatura endoidou"; "ordinarote" e "o homenzinho, ao ler isto, caem-lhe mais três dentes, dois de raiva e um de senilidade" foram expressões e frases escritas pelo então líder madeirense, segundo a acusação.

No processo, foi deduzida acusação particular e feito um pedido cível de indemnização no valor de 600.000 escudos (perto de 3.000 euros) contra o social-democrata Alberto João Jardim.

Entretanto, após decisão instrutória e caso não seja apresentado recurso até final de fevereiro, Alberto João Jardim deverá saber se vai ou não a julgamento pela prática material e na forma continuada de outros dois crimes de violação dos deveres de neutralidade e imparcialidade, alegadamente praticados na altura das eleições autárquicas de 11 de outubro de 2009.

Este processo surgiu na sequência de queixas apresentadas pelo então Partido Nova Democracia (PND), uma força política que teve representação na Assembleia Legislativa da Madeira, extinta por decisão do Tribunal Constitucional em 2015.

Lusa

  • Quase 200 queixas por dia sobre serviços de saúde em 2017
    1:46

    País

    Foram apresentadas, em 2017, quase 200 queixas por dia sobre o funcionamento dos serviços de saúde públicos e privados. As questões administrativas e os tempos de espera foram as principais razões das mais de 70 mil reclamações recebidas pela Entidade Reguladora da Saúde.

  • Fim de semana com chuva e descida da temperatura

    País

    A chuva regressa hoje a Portugal continental e permanece pelo menos até ao início da semana, prevendo-se ainda uma descida da temperatura máxima entre 04 a 06 graus Celsius, disse à Lusa a meteorologista Cristina Simões.

  • Tribunal pede documentos sobre o BES ao Banco de Portugal

    Economia

    O Tribunal Administrativo de Lisboa deu esta quinta-feira ao Banco de Portugal 20 dias para entregar as ata das reuniões das 48 horas antes da resolução do BES. O regulador da banca foi chamado a prestar esclarecimentos sobre a queda do Banco Espírito Santo, em 2014.

  • 45 anos de Partido Socialista
    3:31

    País

    O PS completou 45 anos esta quinta-feira. Acaso ou não, a festa aconteceu um dia depois de terem ficado concluídos dois acordos com o PSD que fazem renascer o debate sobre o posicionamento ideológico do partido socialista.

  • Senado aprova à tangente novo diretor da NASA

    Mundo

    O Senado norte-americano aprovou na quinta-feira, à tangente, a nomeação do novo diretor da agência espacial norte-americana, com 50 votos favoráveis contra 49, colocando à frente da NASA um cético das alterações climáticas, adiantou a Efe.