sicnot

Perfil

País

Conselho da Europa quer prevenção da corrupção na justiça e política em Portugal

O Conselho da Europa insta as autoridades portuguesas a reforçarem a prevenção da corrupção nos regulamentos que regem a atividade profissional de juízes, procuradores e deputados, por considerar que subsistem muitos vazios legais e pontos de contencioso.

As recomendações do Conselho da Europa, hoje divulgadas, constam de um relatório de avaliação elaborado pelo órgão anticorrupção do Conselho da Europa -- o GRECO -- sobre as medidas de prevenção da corrupção implementadas em Portugal relativamente aos grupos profissionais de deputados, juízes e procuradores.

Apontando que, em 2011, no quadro do programa de ajustamento económico acordado com a 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), Portugal aceitou levar a cabo um programa de reformas estruturais que incluía uma reforma do sistema judicial (implementada desde setembro de 2014), o relatório aponta que há agora uma moldura legal e vários instrumentos com vista a prevenir a corrupção nas três categorias profissionais analisadas, mas considera que "os vários elementos do sistema estão, no entanto, desconectados" e o quadro jurídico é "fragmentado e, por vezes, incoerente".

"Aparentemente, a fragmentação faz pouco para mitigar os riscos de corrupção e causa incertezas -- tanto no público como nos três grupos profissionais -- relativamente às regras a aplicar. Acima de tudo, há muito pouco foco na prevenção da corrupção", sustenta o GRECO.

O relatório sublinha que é inerente aos regimes aplicados tanto a deputados, como a juízes e procuradores, "uma atenção insuficiente às questões da integridade, responsabilização e transparência", não tendo sido ainda estabelecidas regras sobre conduta profissional, apontando o GRECO a título de exemplo que "atualmente, no parlamento (Assembleia da República), confia-se simplesmente na consciência individual dos deputados".

"A responsabilização dos deputados foi enfraquecida por um regime de prevenção de conflitos de interesses demasiado permissivo e um regime de incompatibilidade litigiosas que lhes permite exercer advocacia", aponta o documento, acrescentando que se mantém assim acesa a "ideia segundo a qual o parlamento apenas tem uma transparência de fachada nas suas atividades".

O relatório recomenda que sejam também abordadas "deficiências várias" no mecanismo de divulgação e verificação do património dos deputados, designadamente a atual ausência de um controlo aprofundado e em tempo útil.

Relativamente ao sistema judicial, o relatório sublinha a sua "vulnerabilidade a ingerências políticas", sobretudo devido à composição dos conselhos responsáveis pelas nomeações e progressão na carreira dos juízes e pelos processos disciplinares nos tribunais ordinários, administrativos e fiscais, e aponta que a falta de autonomia financeira dos tribunais e do ministério público também os fragiliza.

"Concluindo, as autoridades são convidadas a inscrever de forma clara nos regulamentos relativos a estes três grupos profissionais a prevenção da corrupção, a consolidar o quadro jurídico existente e a reforçar de forma adequada os poderes, imparcialidade e eficácia dos órgãos de controlo", lê-se no final do relatório.

O Conselho da Europa, com sede em Estrasburgo (França), integra 47 países, incluindo os 28 Estados-membros da União Europeia.

Lusa

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta esta terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • O preconceito em relação aos transexuais
    34:09
  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Falta de gado ameaça produção do queijo da Serra da Estrela
    3:35

    País

    A devastação provocada pelos últimos incêndios foi um rude golpe na economia da região Centro do país. Algumas empresas já começaram os trabalhos de reconstrução, mas os produtores de gado temem não conseguir repôr os animais, deixando em risco a produção do queijo Serra da Estrela.

  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.

  • Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado debates com as bases do PSD
    0:40

    País

    Pedro Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado a realização de debates com as bases do partido. Fernando Negrão, responsável pela candidatura de Santana Lopes à presidência do PSD, já tinha advertido em comunicado que a posição de Rui Rio poderia também inviabilizar quaisquer outros frente a frente, incluindo os organizados pela comunicação social. Santana Lopes está na Guarda, no primeiro jantar com apoiantes desde que anunciou a candidatura.