sicnot

Perfil

País

Doentes prioritários esperam mais de 2 anos por consulta de especialidade

Há doentes muito prioritários a esperarem mais de dois anos por uma consulta de especialidade, no Serviço Nacional de Saúde.

LUSA

No Hospital Garcia de Orta, em Almada, um doente muito grave encaminhado para a consulta de Hematologia tem de esperar 824 dias para ser atendido, ou seja, dois anos e três meses de espera.

Nota (14:30 11.02.2016): o Hospital Garcia de Orta esclareceu entretanto que o tempo de espera não é de quase dois anos e meio que constam no portal devido a um erro informático que está a ser resolvido.

Os tempos de espera por uma consulta de especialidade nos hospitais estão disponíveis no Portal do SNS.

As consultas de Oftalmologia são das que têm tempos de espera mais longos, em vários hospitais.

No hospital do Barreiro, um doente muito prioritário tem de aguardar 525 dias, cerca de um ano e meio. As primeiras consultas de especialidade são marcadas pelo médico de família no centro de saúde.

O Ministério da Saúde define que o prazo para a realização de uma consulta deve ser, no máximo, 30 dias.

  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Romeu e Julieta nasceram no mesmo dia e no mesmo hospital

    Mundo

    Na Carolina do Sul, nos EUA, dois bebés tinham o parto marcado para 26 de março mas decidiram nascer mais cedo: exatamente no mesmo dia, apenas com uma diferença de 18 horas. Os pais não se conheciam e, curiosamente, deram o nome aos recém nascidos de Romeo e Juliet (em português, Romeu e Julieta).

  • Gelo nos polos recua para recordes mínimos

    Mundo

    A extensão de gelo polar dos oceanos Ártico e Antártico atingiu recordes mínimos a 13 de fevereiro, perdendo o equivalente a uma área maior do que o México, informou esta quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.