sicnot

Perfil

País

Doentes prioritários esperam mais de 2 anos por consulta de especialidade

Há doentes muito prioritários a esperarem mais de dois anos por uma consulta de especialidade, no Serviço Nacional de Saúde.

LUSA

No Hospital Garcia de Orta, em Almada, um doente muito grave encaminhado para a consulta de Hematologia tem de esperar 824 dias para ser atendido, ou seja, dois anos e três meses de espera.

Nota (14:30 11.02.2016): o Hospital Garcia de Orta esclareceu entretanto que o tempo de espera não é de quase dois anos e meio que constam no portal devido a um erro informático que está a ser resolvido.

Os tempos de espera por uma consulta de especialidade nos hospitais estão disponíveis no Portal do SNS.

As consultas de Oftalmologia são das que têm tempos de espera mais longos, em vários hospitais.

No hospital do Barreiro, um doente muito prioritário tem de aguardar 525 dias, cerca de um ano e meio. As primeiras consultas de especialidade são marcadas pelo médico de família no centro de saúde.

O Ministério da Saúde define que o prazo para a realização de uma consulta deve ser, no máximo, 30 dias.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.