sicnot

Perfil

País

Doentes prioritários esperam mais de 2 anos por consulta de especialidade

Há doentes muito prioritários a esperarem mais de dois anos por uma consulta de especialidade, no Serviço Nacional de Saúde.

LUSA

No Hospital Garcia de Orta, em Almada, um doente muito grave encaminhado para a consulta de Hematologia tem de esperar 824 dias para ser atendido, ou seja, dois anos e três meses de espera.

Nota (14:30 11.02.2016): o Hospital Garcia de Orta esclareceu entretanto que o tempo de espera não é de quase dois anos e meio que constam no portal devido a um erro informático que está a ser resolvido.

Os tempos de espera por uma consulta de especialidade nos hospitais estão disponíveis no Portal do SNS.

As consultas de Oftalmologia são das que têm tempos de espera mais longos, em vários hospitais.

No hospital do Barreiro, um doente muito prioritário tem de aguardar 525 dias, cerca de um ano e meio. As primeiras consultas de especialidade são marcadas pelo médico de família no centro de saúde.

O Ministério da Saúde define que o prazo para a realização de uma consulta deve ser, no máximo, 30 dias.

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.