sicnot

Perfil

País

GNR regista 871 acidentes na Operação Carnaval 2016

A GNR registou 871 acidentes, três mortos e 15 feridos graves, no âmbito da operação "Carnaval 2016", que decorreu entre sexta-feira e as 00:00 de hoje, disse à Lusa fonte do comando-geral daquela força de segurança.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

De acordo com o oficial de operações do comando-geral da GNR, durante os cinco dias em que decorreu a operação, registaram-se 871 acidentes, menos 111 que na operação do "Carnaval de 2015", mas o número de mortos registados, três, é igual ao ano do anterior.

Os 871 acidentes registados provocaram 15 feridos graves, mais quatro do que na operação do ano anterior, e 273 feridos ligeiros, mais dois, segundo o mesmo responsável.

A GNR realizou, desde as 00:00 de sexta-feira, a operação "Carnaval 2016", reforçando o patrulhamento e a fiscalização rodoviária nas vias mais críticas, especialmente nas estradas que convergiam aos locais onde tradicionalmente ocorrem festividades carnavalescas.

Durante a operação, a GNR realizou ações de fiscalização com o objetivo de prevenir a sinistralidade rodoviária, estando os militares especialmente atentos aos excessos de velocidade, condução sob influência de álcool e de substâncias psicotrópicas, além da não utilização do cinto de segurança, uso do telemóvel durante a condução e falta de carta de condução.

Lusa

  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Cogumelos alucinogénios entre as drogas mais seguras

    Mundo

    Os cogumelos alucinogénios são considerados uma das drogas mais seguras, quando consumidos para fins recreativos. A conclusão é avançada no Global Drug Survey, um estudo anual divulgado esta quarta-feira sobre os hábitos de consumo de drogas de quase 120 mil pessoas em 50 países.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.