sicnot

Perfil

País

Homem acusado de matar ex-mulher, ex-sogros e ex-enteado nada disse ao tribunal

O homem acusado de matar quatro pessoas a tiro - ex-mulher, ex-sogros e ex-enteado - na Póvoa de Varzim, em abril de 2015, não quis hoje prestar declarações em tribunal, argumentando "já ter confessado os factos".

(Arquivo/SIC)

(Arquivo/SIC)

SIC

"Não quero falar porque já confessei os factos", disse o arguido perante o coletivo de juízes do Tribunal de Matosinhos, distrito do Porto.

De acordo com a acusação do Ministério Público, citada numa nota da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, o arguido armou-se "com uma pistola e com um revólver carregados, assim como com várias munições de reserva, dirigiu-se à Rua Comendador Araújo, na Estela, Póvoa de Varzim, à casa onde a sua anterior companheira vivia com os pais, e abateu-os a tiro, bem como a um filho que aquela tinha de uma anterior relação".

O crime aconteceu no dia 28 de abril de 2015, por volta das 09:00, e as quatro vítimas tinham idades entre os 23 e 70 anos.

Segundo informações adiantadas no próprio dia do crime pela GNR do Porto, duas das vítimas terão sido mortas no interior do café, propriedade dos ex-sogros do arguido, um empresário de 42 anos, e as outras duas terão sido baleadas no interior da residência da família, que tinha ligação direta ao estabelecimento.

Falando hoje aos jornalistas, à saída do tribunal, o advogado de defesa, Jorge da Costa, afirmou "estar certo" que até ao final do julgamento o suspeito irá falar.

"Ele tem de falar e esclarecer os factos, aliás, ele não nega que os cometeu, mas este não é o momento porque ele não está bem", disse.

E acrescentou: "ninguém fica sereno e indiferente depois de passar por uma tragédia desta dimensão".

Jorge da Costa revelou ainda que na quinta-feira o arguido vai fazer uma perícia psicológica para apurar a sua personalidade.

A Polícia Judiciária (PJ) emitiu, na altura, um comunicado no qual referia que as quatro mortes na Estela ocorreram na sequência de "conflitos com a posse de terrenos e o recebimento das respetivas rendas" entre o alegado homicida e uma das vítimas.

Esta força policial, através da Diretoria do Norte, referia ainda que os conflitos já se vinham a arrastar "desde há algum tempo", entre o suspeito, a sua ex-companheira e familiares desta.

"De acordo com a acusação, o arguido, desavindo com a sua anterior companheira por questões subsequentes à rutura da relação que com ela mantinha, começou a anunciar-lhe que a mataria, assim como a toda a sua família, e imbuído de sentimentos de raiva, avareza e materialismo, foi alimentando esta ideia de pôr termo à vida de tais pessoas", revelou ainda a PGD do Porto.

O alegado homicida estava separado da ex-mulher há cerca de ano e não aceitava o fim da relação, nem o facto de esta ter um novo companheiro.

Ao arguido, em prisão preventiva desde o dia 29 de abril -- data em que foi detido na A3, em Valença, a dois quilómetros da fronteira espanhola, depois de se despistar -- estão imputados quatro crimes de homicídio qualificado, três crimes de ameaça agravada, um crime de detenção de arma proibida e um crime de uso e porte de arma sob efeito de álcool.

Lusa

  • Tudo isto circula na internet. Nada disto é verdade
    3:12
  • Peso dos salários na economia diminuiu
    2:34

    Economia

    Portugal é dos países onde o peso dos salários na economia mais diminuiu. Ou seja, os salários portugueses foram dos mais encolheram com a crise. A conclusão é da Organização Internacional do Trabalho que sublinha as implicações negativas ao nível social e económico.

  • Inaugurado Ikea de Loulé
    3:51

    Economia

    Centenas de pessoas aguardavam à porta do Ikea de Loulé para a inauguração da nova loja no Algarve, uma semana depois do acidente que matou uma trabalhadora. A cerimónia decorreu de forma sóbria, ainda que com alguma pompa e circunstância.

  • Descoberta nova espécie de tiranossauro

    Mundo

    Uma nova espécie de dinossauros predadores, um tiranossauro com uma forma incomum de evolução, foi descoberta por uma equipa internacional de cientistas, segundo um artigo científico hoje publicado pela revista Nature.