sicnot

Perfil

País

Vinte arguidos e 750 mil comprimidos apreendidos em investigação da PJ

Vinte pessoas foram constituídas na sequência de uma investigação da Polícia Judiciária (PJ) que levou ao fecho de atividade de seis redes de fabrico e comercialização de esteróides anabolizantes, informou hoje a PJ.

Em comunicado, a PJ anuncia ainda que a operação "Underground Pharma" resultou ainda na apreensão de 750.000 comprimidos e 50.000 ampolas daqueles produtos que estavam prontos a entrar no mercado, além de máquinas de produção de comprimidos, de etiquetagem e de embalagem.

Foi também apreendida matéria-prima para produção dos medicamentos, testosterona, óleos e excipientes, além de frascos de vidro e plástico, cartonagens, bulas, hologramas, fórmulas de fabricação, assim como medicamentos contrafeitos adquiridos em mercado paralelo.

No âmbito de um inquérito dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, a Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ Ministério Público - DIAP de Lisboa, finalizou e remeteu, com proposta de acusação por corrupção de substâncias medicinais e tráfico de substâncias proibidas, um inquérito cuja investigação se iniciou em 2012, lê-se no comunicado.

Segundo a PJ, tratava-se de redes com estreitas ligações em Espanha, pelo que a investigação foi desenvolvida em articulação e cooperação com as autoridades espanholas, através da Guardia Civil.

Na sequência da cooperação com as autoridades espanholas, foi desencadeada em Espanha a operação Escudo, no âmbito da qual foram efetuadas cinquenta e cinco detenções.

Além das autoridades espanholas, a investigação contou ainda com a colaboração da Autoridade Nacional do Medicamento (INFARMED) e da Autoridade Anti-Dopagem de Portugal (ADOP).

Lusa

  • Nuno Espírito Santo volta a desenhar no quadro
    6:54

    Desporto

    O treinador do FC Porto usou hoje de novo o marcador para desenhar e assim tentar explicar-se melhor. Foi na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Sporting de Braga. "Sei que isto vai ser motivo de brincadeira, crítica e análise", disse. "Não reparem no desenho, prestem atenção ao conteúdo".

  • "A frase que mais ouço quando digo que sou blogger é: 'Mas dá para viver disso?'"

    Web Summit

    É certo e sabido que a internet e as redes sociais abriram as portas a novas realidades laborais e sobretudo a oportunidades profissionais espalhadas um pouco por todo o mundo. Portugal não foge à regra e é cada vez mais uma parte desse todo, como o demonstra a organização da WebSummit para o triénio 2016-18. Foi precisamente por lá que encontramos a Sara Riobom, uma engenheira industrial convertida à blogosfera e a fazer vida disso mesmo.

    Martim Mariano