sicnot

Perfil

País

Portugal não vai extraditar indiano suspeito de terrorismo

A ministra da Justiça decidiu ontem não extraditar Paramjeet Singh para a Índia, onde é acusado da autoria de homicídio e de ataques bombistas.

© Adnan Abidi / Reuters

O alegado separatista indiano Paramjeet Singh foi detido em dezembro no Algarve pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) ao abrigo de um mandato de detenção internacional para extradição emitido pela Interpol.

Paramjeet Singh é acusado pelas autoridades indianas de estar envolvido em atentados à bomba em 2010 em Patiala e Ambala e de ter sido, em 2009, o cérebro do assassínio do líder do movimento nacionalista hindu, o Rashtriya Sikh Sangat.

Em nota de imprensa eviada hoje, o gabinete da ministra da Justiça explica que a decisão "assenta no facto deste cidadão indiano beneficiar do estatuto de refugiado atribuído pelas autoridades britânicas em Setembro de 2000, altura em que lhe foi concedido asilo naquele país e emitido um título de viagem válido até 24 de Abril de 2023, que o habilita a deslocar-se por vários países da UE, entre os quais Portugal".

Assim, "a não admissibilidade do pedido de extradição põe termo ao processo, permitindo o regresso do cidadão ao Reino Unido", conclui a ministra da Justiça portuguesa.

  • Validada detenção de homem procurado na Índia por homicídio e atos bombistas
    2:01

    País

    O tribunal de turno validou hoje a detenção do cidadão estrangeiro capturado na sexta-feira no Algarve e que era procurado pela Índia por homicídio e atos bombistas. O tribunal de turno, que funciona ao fim de semana, validou a detenção e o homem, referenciado como sendo "perigoso e violento", será apresentado na segunda-feira ao Tribunal da Relação de Évora para ser ouvido sobre a extradição pedida pelas autoridades indianas. O homem, de cerca de 40 anos, mas cuja identidade ainda não foi divulgada, foi detido num hotel do Algarve pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no âmbito de um mandado de detenção internacional para extradição emitido pela Interpol.

  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.