sicnot

Perfil

País

Caudal do Douro a nível "normal" e do Águeda "a baixar"

O rio Douro não registou cheias esta madrugada, ao contrário do que estava previsto, disse hoje à Lusa a Proteção Civil, indicando também que em Águeda o nível das águas está a baixar.

Águeda

Águeda

PAULO NOVAIS

Ao início da madrugada, a Proteção Civil do Porto previu que fossem ocorrer cheias no Douro pelas 6:00, elegendo Postigo do Carvão, Miragaia e o Cais da Ribeira como os pontos mais críticos.

No entanto, pelas 6:10, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto indicou à Lusa que "o caudal do rio está normal, não houve transbordo".

Informação semelhante foi transmitida pelo CDOS de Viana do Castelo: "Não há nenhuma informação de cheias, nem galgamento das margens dos rios, tanto do Lima como do Minho. Estamos a aguardar, para já nada de especial".

Em Águeda, que na sexta-feira sofreu as maiores cheias dos últimos anos, "o rio está a baixar", informou Luís Gonçalves, do CDOS de Aveiro, indicando que, ainda assim, se mantêm cortadas estradas no centro de Águeda, em Albergaria e Anadia.

A Proteção Civil aguarda agora pelo desenvolvimento da situação: "Neste momento o rio está a baixar, mas não quer dizer que se mantenha. Tem estado toda a noite a chover, vamos ver o que nos reserva o dia, consoante as descargas das barragens".

Segundo Luís Gonçalves, desde sexta-feira até ao início da manhã de hoje foram registadas 62 ocorrências no distrito de Aveiro, "entre inundações e quedas de árvores".

Porto, Viana do Castelo, Aveiro e Braga estão, até ao final do dia de hoje, sob 'Aviso Laranja' devido a chuva persistente e por vezes forte.

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC