sicnot

Perfil

País

Restauração de Amarante receia efeitos da subida do caudal do rio no negócio

O forte caudal do rio Tâmega em Amarante está a preocupar a restauração da baixa da cidade, devido à possibilidade de cancelamento dos jantares se o rio subir, admitiu à Lusa o presidente da Câmara.

"A restauração da baixa da cidade não sabe o que há de fazer, se fechar portas ou arriscar", afirmou José Luís Gaspar.

O autarca, acompanhado do comandante operacional da proteção civil municipal, percorreu esta tarde vários estabelecimentos da baixa da cidade, nomeadamente restaurantes e confeitarias, para informar os proprietários sobre as previsões meteorológicas das próximas horas.

Falando à Lusa à entrada de um dos restaurantes mais conhecidos e turísticos da cidade, Gaspar afirmou: "Eles [comerciantes] estão um bocado indecisos, hora após hora à espera de indicações de última hora para verem se podem manter os seus estabelecimentos abertos".

O presidente da Câmara disse ter indicações de que, dentro de duas horas, poderá acalmar a intensidade da chuva. "Se assim for, até às 20:00, acreditamos que as coisas possam vir a melhorar", informou.

No entanto, ressalvou, ainda se mantém o alerta laranja, "com todas as preocupações", porque, anotou, "de um momento para o outro, as coisas podem-se inverter, mas não é expectável que isso aconteça".

Na última noite, o rio Tâmega subiu bastante e esteve próximo de atingir a quota baixa da área urbana, mas ainda longe do nível alcançado na noite de 10 de janeiro, quando a água saiu do leito e invadiu alguns arruamentos.

No resto do maior concelho do distrito do Porto, no dia de hoje, houve duas ocorrências relacionadas com o mau tempo que o autarca de Amarante assinalou.

A mais preocupante foi o deslizamento de terras junto às obras do túnel do Marão, na freguesia de Ansiães, que impediu a circulação numa via e causou prejuízos em duas habitações. Idêntica situação ocorrera no dia 10 de janeiro, também devido ao mau tempo, quando duas casas estiveram em perigo.

Gaspar disse esperar que, após as obras que ainda decorrem, a situação possa ser definitivamente resolvida pelo concessionário da autoestrada do Marão, para garantir que nada de grave ocorra naquela zona do concelho.

A segunda situação ocorreu na zona da Torre, na sede do concelho, onde caiu um muro, obstruindo o único acesso viário a várias habitações. A situação, disse, já foi resolvida pelos serviços da Câmara Municipal.

Lusa

  • Mau tempo: veja aqui o que se passa na sua zona

    País

    A meteorologia agravou os níveis de alerta de mau tempo, especialmente devido ao vento forte e à agitação marítima. Várias localidades estão a passar por situações complicadas. Verifique na tabela que está aqui em baixo qual é o ponto de situação da sua zona.

  • Pedrógão e o Governo das culpas dos outros

    Opinião

    Depois das revelações do ‘Expresso’ e do ‘i’, o primeiro-ministro e os ministros saíram à rua com uma estratégia muito bem definida: desmentir a existência de listas secretas e centrar as atenções no Ministério Público. Ao mesmo tempo, nas redes sociais, está em curso (mais) uma campanha contra os jornalistas. Os anónimos, com cartão de militante, que escrevem nessas páginas acusam os jornais das “mais rebuscadas teorias da conspiração”. Nada de novo portanto.

    Bernardo Ferrão

  • "A verdadeira questão são as imagens com que abrimos o Jornal, é um país que está a arder"
    2:52

    Opinião

    A polémica em torno do número de vítimas da tragédia de Pedrógão Grande esteve em análise no Jornal da Noite. Miguel Sousa Tavares diz não compreender "que se faça disto uma questão política" e reitera que o foco deve centrar-se nas imagens de "um país que está a arder". O comentador SIC afirma ainda que "64 mortos num incêndio é um escândalo, um número absurdo".

    Miguel Sousa Tavares

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • Quase mil bombeiros combatem chamas na Sertã
    1:37

    País

    O incêndio que deflagrou no domingo, na Sertã, concelho de Castelo Branco, ainda não foi extinto. Perto de mil homens combatem as chamas no terreno, apoiados por 10 meios aéreos. O fogo tem frentes em Mação e Proença-a-Nova.

  • Proteção Civil acusada de gestão errática no incêndio de Mação
    1:26

    País

    O comandante dos Bombeiros de Constância e o vice-Presidente da Liga dos Bombeiros acusam a Proteção Civil de desviar meios do fogo de Mação, em Santarém, que eram essenciais para travar o incêndio. As chamas desceram da Sertã e acabaram por queimar uma casa de habitação.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.