sicnot

Perfil

País

Sobem para 27 os deslocados de acampamento cigano inundado em Valença

O número de pessoas obrigadas hoje a sair de um acampamento cigano de Valença, na sequência de inundação provocada pelo caudal do rio Minho, subiu para 27, disse à agência Lusa fonte da proteção civil.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, as 27 pessoas foram deslocadas para um salão da Junta de Freguesia de Valença.

Inicialmente tratava-se de um grupo de 20 pessoas, a quem, numa primeira fase, a Câmara local disponibilizou duas habitações no concelho.

"Posteriormente, apareceram mais sete pessoas do mesmo acampamento e a autarquia decidiu deslocá-las para o salão da Junta de Freguesia de Valença", explicou a fonte do CDOS de Viana do Castelo.

O acampamento, situado junto ao cais, por baixo da ponte Eiffel de Valença, foi inundado cerca das 10:00 com a subida das águas do rio Minho.

Ainda de acordo com a fonte do CDOS, a situação encontra-se "estável" nos concelhos de Ponte de Lima e Ponte da Barca, afetados pela subida do caudal do rio Lima, na sequência da chuva intensa que se faz sentir na região e das descargas das barragens do Touvedo e Alto Lindoso.

Lusa

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".