sicnot

Perfil

País

Municípios do Douro mobilizam máquinas e operacionais para limpar estragos

Dezenas de bombeiros e funcionários municipais estão hoje a proceder a operações de limpeza e desobstrução de vias em Mesão Frio, Peso da Régua e Santa Marta de Penaguião, onde o mau tempo provocou avultados prejuízos.

Régua

Régua

NUNO ANDRE FERREIRA

"É tanta coisa que eu nem sei fazer um balanço a isto, já que são tantas as derrocadas, tantos os muros caídos, tantas estradas. Neste momento ainda temos algumas zonas isoladas. Estamos a tentar voltar à normalidade, mas está complicado", afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara de Mesão Frio, Alberto Pereira.

A zona sul do distrito de Vila Real foi atingida este fim de semana pela chuva intensa e vento fortes que estão a provocar estragos nestas regiões do Douro vinhateiro, de socalcos e de encostas acentuadas.

Alberto Pereira referiu que tem no terreno, "há mais de 72 horas", uma equipa permanente de oito homens, três máquinas e duas carrinhas, que estão a resolver os casos mais graves.

O autarca alertou para "uma situação muito preocupante" e disse que, entre hoje e segunda-feira, os técnicos irão fazer um "levantamento exaustivo" dos prejuízos. Adiantou, no entanto, que pondera "pedir ajuda ao Governo para enfrentar esta calamidade".

Salientou, ainda, que esta situação "vai complicar a já problemática situação financeira do município". "Não sei como vou dar resposta a isto tudo a partir de segunda-feira", desabafou.

Ao lado, no Peso da Régua, são cerca de três dezenas de pessoas, entre bombeiros e serviços municipais de proteção civil, que estão envolvidos nas operações de limpeza.

"Temos ainda muitas situações para resolver. Parou de chover mas continuam as inundações de garagens, derrocadas, deslizamentos de terras para as estradas, temos muita coisa bloqueada ainda", salientou o responsável pela proteção civil municipal, Manuel Saraiva.

Neste concelho, duas habitações foram afetadas por derrocadas, pelo que foi necessário proceder ao realojamento das famílias.

Uma das situações, que aconteceu na ribeira do Rodo, Godim, os peritos da autarquia vão proceder na segunda-feira à verificação das condições de habitabilidade desta casa onde vive um casal com duas filhas menores.

"O que sabemos é que está muita coisa estragada mas não temos condições ainda para fazer levantamentos dos prejuízos. Agora é só tentar resolver e minimizar os prejuízos e os desconfortos das pessoas. Levantamentos só a partir de segunda-feira", frisou Manuel Saraiva.

Em Santa Marta de Penaguião, o presidente da Câmara descreveu à agência Lusa um "cenário impressionante", em que a tromba de água arrastou vários patamares de vinha, principalmente nas localidades de Fontes e Sever, destruindo ainda campos agrícolas, muitos muros, caminhos rurais e estradas municipais.

"Estamos a fazer um levantamento dos estragos mas, entre danos a nível das infraestruturas públicas e dos privados, os prejuízos deverão atingir o meio milhão de euros", afirmou.

Luís Machado disse ainda que uma equipa de cerca de 20 pessoas, entre funcionários da autarquia, bombeiros e privados, estão no terreno a proceder às operações de limpeza e reparação dos danos mais prioritários.

Mais a norte do distrito é a neve que está a afetar concelhos como Vila Real, Montalegre ou Vila Pouca de Aguiar.

Segundo fonte da GNR, as principais estradas do distrito estão transitáveis, aconselhando-se, no entanto, muita precaução.

Os limpa-neves estão no terreno a proceder à limpeza das vias e a espalhar sal.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.