sicnot

Perfil

País

Circulação de comboios afetada nas linhas do Norte e do Vouga

A linha ferroviária do Norte continua submersa em Alfarelos, o que obriga os passageiros a fazer um transbordo entre Pombal e Coimbra, mantendo-se também suprimida a circulação na linha do Vouga, informou a Infraestruturas de Portugal.

Encontram-se também cortadas, devido ao deslizamento de terras, a estrada nacional 222, que liga Vila Nova de Gaia a Almendra (Vila Nova de Foz Coa), entre os quilómetros 96 e 116, junto a Resende, e a estrada nacional a 210, ao quilómetro 48.900, junto a Amarante.

Encontram-se também cortadas, devido ao deslizamento de terras, a estrada nacional 222, que liga Vila Nova de Gaia a Almendra (Vila Nova de Foz Coa), entre os quilómetros 96 e 116, junto a Resende, e a estrada nacional a 210, ao quilómetro 48.900, junto a Amarante.

SIC

Em comunicado, a Infraestruturas de Portugal, que gere a rede rodoviária e ferroviária nacional, revelou que, pelas 12:00, a linha do Norte continuava submersa em Alfarelos, o que obrigava ao transbordo dos passageiros entre Pombal e Coimbra, bem como continuava suprimido o serviço urbano entre Figueira do Foz e Coimbra.

O organismo justificou que o mau tempo que se fez sentir ao longo de todo o fim de semana obrigou à implementação de restrições à circulação.

A circulação de comboios na linha do Vouga mantém-se igualmente suspensa devido à inundação das vias, de acordo com a IP.

A empresa alertou que a reposição da circulação nas estradas e nos carris submersos - troços das linhas do Norte e do Vouga - só será feita após a descida do nível das águas.

De acordo com a IP, nas últimas 24 horas apenas se verificou uma descida de 10 centímetros no nível das águas, pelo que nas restantes linhas afetadas pelas cheias manter-se-ão, por questões de segurança, algumas limitações de velocidade na circulação.

Quanto às vias rodoviárias, encontram-se submersos o IC 3 (Itinerário Complementar da Estremadura e Ribatejo) variante da Portela, com a circulação a fazer-se pelas vias coletoras, estrada nacional 347 em Figueiró do Campo, junto à Figueira da Foz, e a estrada nacional 230-2, junto a Angeja.

Encontram-se também cortadas, devido ao deslizamento de terras, a estrada nacional 222, que liga Vila Nova de Gaia a Almendra (Vila Nova de Foz Coa), entre os quilómetros 96 e 116, junto a Resende, e a estrada nacional a 210, ao quilómetro 48.900, junto a Amarante.

A Infraestruturas de Portugal explicou ainda que o organismo vai continuar a procurar restabelecer todas as interrupções verificadas, adiantando que quanto às vias submersas tem de se aguardar a descida das águas para reposição das condições de circulação.

Lusa

  • Solução governativa à esquerda "devolveu tranquilidade à sociedade"
    0:58

    País

    O primeiro-ministro diz que a atual solução de Governo deve continuar tendo vantagens por ser como é. Ao Expresso, António Costa manifestou-se "muito satisfeito" com a solução governativa encontrada e afirmou que esta "não depende de haver ou não maioria" absoluta na próxima legislatura.

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43