sicnot

Perfil

País

Ministro da Saúde demite Paulo Campos da presidência do INEM

O ministro da Saúde demitiu Paulo Campos da presidência do Instituto Nacional de Emergência Médica, tal como propunha a Inspeção Geral das Atividades em Saúde. A decisão foi anunciada em comunicado.

"O Ministro da Saúde homologou a proposta de cessação de comissão de serviço no cargo de Presidente do Conselho Diretivo do INEM do Dr. Paulo Campos, constante do Relatório final do processo disciplinar instruído pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde", pode ler-se no comunicado.

O antigo dirigente do INEM estava a ser alvo de um processo disciplinar. Paulo Campos é acusado de ter acionado um helicóptero de emergência médica para transportar um doente, amigo da família.

Luís Meira, que estava entretanto a substituí-lo desde outubro, vai manter-se em funções até ficar concluído o concurso que deve ser aberto em breve.

Última atualização às 16:21

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.