sicnot

Perfil

País

Dois motoristas Uber agredidos por taxistas no Porto

Dois homens ao serviço da aplicação informática Uber foram hoje agredidos à porta de um hotel do Porto por quatro pessoas, duas das quais taxistas, disse à Lusa fonte da PSP, que recebeu queixa formal do sucedido.

A ANTRAL condenou a violência, mas alertou que a Uber "não está autorizada a trabalhar em Portugal" (Arquivo)

A ANTRAL condenou a violência, mas alertou que a Uber "não está autorizada a trabalhar em Portugal" (Arquivo)

ESTELA SILVA

Fonte da PSP do Porto revelou que hoje, pelas 10:45, um carro-patrulha se deslocou ao exterior de uma unidade hoteleira situada na Rua Tenente Valadim, por "estarem a ocorrer agressões" a "dois cidadãos".

Segundo a mesma fonte, a participação à polícia indica que quatro pessoas agrediram um dos queixosos e provocaram danos na viatura que conduzia, tendo já sido identificados "três dos quatro indivíduos indicados como agressores". Entre estes três agressores identificados pela PSP encontravam-se dois taxistas, indicou à Lusa fonte policial.

Fonte do hospital de Santo António, no Porto, confirmou à Lusa, por seu turno, que duas pessoas agredidas deram entrada hoje naquela unidade hospitalar com ferimentos ligeiros, tendo tido alta cerca das 14:00.

Um dos feridos, que pediu à Lusa o anonimato e é dono de uma empresa que trabalha com a Uber, contou que ele e um dos seus motoristas foram hoje agredidos "ao murro e pontapé" nas "costas e na cabeça" à frente do Hotel Sheraton, na rua Tenente Valadim, e que as agressões só pararam quando se refugiram na receção daquela unidade hoteleira.

"Quando esperávamos pela polícia, começaram as agressões que só pararam quando fugimos para a receção do hotel", conta.

A Lusa contactou o Hotel Sheraton, mas não foi possível obter nenhum esclarecimento em tempo útil.

Em declarações à Lusa, uma fonte oficial da Uber condenou "veementemente todos os atos de violência".

"Situações como esta não são aceitáveis numa cidade portuguesa. Apresentamos a nossa total disponibilidade para colaborar com as autoridades. A segurança pública surge em primeiro lugar e apoiaremos de forma incondicional todos os nossos parceiros".

Florêncio Almeida, presidente da Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Transportes Ligeiros (ANTRAL), condenou a violência, mas alertou que a Uber "não está autorizada a trabalhar em Portugal", pelo que "a lei tem de ser aplicada" e "as viaturas deviam ter sido apreendidas".

À Lusa, o responsável da ANTRAL reiterou a necessidade de o Governo atuar, sob pena de o desagrado dos taxistas "descambar para uma situação de descontrolo".

"São [as agressões] atitudes que não devem acontecer. Não é pela violência que se resolvem os problemas", afirmou.

"O Governo tem de fazer alguma coisa. Tenho medo que a situação descambe para o descontrolo. É evitável. Não é assim que se devem resolver os problemas", acrescentou.

Os taxistas são contra o sistema de transportes com base naquela aplicação eletrónica e a Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Transportes Ligeiros (ANTRAL) interpôs contra a Uber uma providência cautelar para determinar o fim da atividade de transporte de passageiros em automóveis ligeiros daquela forma, bem como cessar a angariação de meios e a execução de contratos de transporte de passageiros sob a designação Uber.

Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Violência volta às favelas do Rio de Janeiro
    3:21

    Mundo

    As favelas do Rio de Janeiro voltaram aos níveis de violência dos anos 90. A cidade de Deus foi uma das favelas pacificadas que voltou a registar tiroteios diariamente, os moradores falam de situações de trauma e do medo das crianças.

  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Cão corre os EUA a entregar águas aos árbitros em jogos de basebol
    0:20