sicnot

Perfil

País

Portugueses vão poder escolher serviços de saúde dentro de dois ou três anos

O ministro da Saúde anunciou que dentro de dois ou três anos os portugueses poderão escolher os serviços de saúde e que a arma para cativar os utentes serão «a qualidade, o desempenho e a transparência».

Reuters (Arquivo)

Adalberto Campos Fernandes falou aos jornalistas no final da cerimónia de comemoração do primeiro transplante cardíaco, realizado há 30 anos no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide.

«A arma (para os serviços de saúde cativarem os utentes) é a qualidade, é o desempenho e a transparência. Temos de ter um Serviço Nacional de Saúde exigente consigo próprio e que gosta de ser avaliado», disse.

De acordo com o ministro, estão ainda a ser feitos «os estudos necessários», mas as primeiras medidas serão ensaiadas já a partir de abril, quando forem assinados os primeiros contratos-programa com os hospitais.

Esta livre escolha deverá estar a funcionar em pleno daqui a dois, três anos.

O ministro disse também que «a transplantação é uma prioridade política» desta equipa ministerial e sublinhou a importância desta efeméride que recorda o primeiro transplante cardíaco em Portugal.

Lusa

  • Médicos dizem que plano de contigência do frio aplicado pelo Ministério não alivia urgências
    1:45

    País

    Os médicos defendem que o plano de contingência do frio aplicado pelo Ministério da Saúde não está a aliviar as urgências dos hospitais. O objetivo passava por encaminhar os doentes para os centros de saúde mais próximos, mas tal não aconteceu. As pessoas não optam pelos centros de saúde, mas estes centros também não têm meios e instrumentos básicos de saúde, como termómetros. A Ordem dos Médicos realizou um inquérito aos clínicos dos centros de saúde da zona Centro que acabou por revelar que o alargamento de horário até às 22:00 não valia pena, devido à falta de doentes.

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo e 1/4 acredita que SIDA transmite-se pelos talheres
    1:42
  • Dissonâncias entre EUA e Europa "podem ser ultrapassadas"
    1:04

    Mundo

    O ministro dos Negócios Estrangeiros reconhece que há sinais manifestos de dissonância na política externa da Europa e dos Estados Unidos da América. No dia em que Donald Trump completa um ano na Casa Branca, Augusto Santos Silva diz que acredita, no entanto, que essas divergências podem ser ultrapassadas.

  • Há mais um suspeito do massacre de Las Vegas 
    0:27

    Mundo

    Em outubro passado, Stephen Paddock abriu fogo sobre os espetadores de um concerto de música country, em Las Vegas, matando 58 pessoas e ferindo quase 500, no mais sangrento tiroteio da história norte-americana recente. A novidade é que a polícia federal dos EUA abriu uma investigação sobre um segundo suspeito no tiroteio. A Polícia Metropolitana disse que não há ainda um motivo para o tiroteio mas aponta como uma das possíveis razões o facto de Stephen Paddock ter perdido uma grande quantia de dinheiro. Os investigadores descobriram ainda que o atirador possuía pornografia infantil no seu computador.