sicnot

Perfil

País

Fim de semana com menos frio mas com nuvens e aguaceiros no sul

O fim de semana vai ser marcado pela subida das temperaturas mínimas em Portugal continental, mas com nebulosidade e probabilidade de aguaceiros no Algarve e Baixo Alentejo, adiantou à agência Lusa a meteorologista Maria João Frada.

(Arquivo)

(Arquivo)

(arquivo)

"Para o fim de semana, estamos a prever menos frio, mas nebulosidade e aguaceiros prováveis no sul, Algarve e Baixo Alentejo", disse.

De acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o aumento da nebulosidade no sul do país é originado pela depressão que está a afetar a região da Madeira e que tende a deslocar-se em direção ao continente.

"Assim, a partir de hoje já vamos ter alguma nebulosidade no sul e amanhã [sábado], em princípio, tudo aponta para que haja ocorrência de aguaceiros, que podem ser acompanhados de trovoada, mantendo-se a mesma situação no domingo", salientou.

Segundo a especialista, a região norte vai estar salvaguardada, prevendo-se céu pouco nublado ou limpo.

"No fim de semana vamos ter menos frio. Gradualmente, vamos sentir uma pequena subida dos valores da temperatura mínima. Vão variar nas regiões do interior norte e centro entre os 0 e os 2/4 graus Celsius e no litoral vão subir da ordem dos 5/7 graus positivos", disse.

Quanto às máximas, Maria João Frada declarou que vão variar entre os 14 e os 18 graus no litoral e no interior entre os 10 e os 14.

"Na segunda-feira, em princípio vamos ter o deslocamento da depressão para norte e é provável que haja nebulosidade. Se assim for, as temperaturas máximas vão baixar um pouco e a precipitação pode ser apenas uma possibilidade", concluiu.

Lusa

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.