sicnot

Perfil

País

Mês de janeiro com 235 passageiros na linha aérea Bragança-Portimão

A linha aérea regional que liga Bragança a Portimão, com escalas em Vila Real, Viseu e Cascais, teve em janeiro 235 passageiros, informou o Grupo Seven Air, que detém a companhia aérea Aero Vip, concessionária da rota.

Dois meses após o voo inaugural - realizado a 22 de dezembro -, a companhia assegura que a taxa de ocupação da rota, com voos diários e com capacidade para 18 passageiros, é semelhante à obtida no primeiro mês de 2009, quando esta empresa fazia a rota Bragança/Vila Real/Lisboa, suspensa em 2012.

"Durante o mês de janeiro de 2016 foram transportados 235 passageiros. Este número está em linha com o que foi o primeiro mês completo da operação da concessão anterior, no qual foram transportados 253 passageiros: período homólogo em 2009", disse à agência Lusa Carlos Amaro, administrador do Grupo Seven Air (7Air).

Contudo, este responsável "está convicto" de que nos próximos meses haverá uma maior procura da linha regional Norte/Sul, com o consequente aumento do número de passageiros.

Carlos Amaro aponta três fatores que sustentam esta expetativa: "Esta linha tem uma nova rota e liga mais destinos, portanto deverá haver um aumento da procura. Depois, estamos já trabalhar com os diversos municípios e regiões de turismo onde estão inseridos para divulgar a linha, os nossos serviços, e oferecer também aos turistas e a quem visita o nosso país, uma alternativa de qualidade e rapidez para melhor conhecerem Portugal".

O terceiro fator, de acordo com Carlos Amaro, prende-se com o facto de a companhia acreditar que, passado o período de inverno, e verificando-se uma melhoria das condições climatéricas, "a tendência para a procura [da linha] deverá aumentar".

Esta carreira aérea terá, pelo menos, duas viagens de ida e volta no período de verão (entre março e outubro), de segunda-feira a sábado, e uma frequência de ida e volta na estação de inverno (novembro a fevereiro), também de segunda-feira a sábado.

A ligação foi concessionada por três anos e a empresa receberá do Estado durante esse período um total de 7,8 milhões de euros.

A concessão surge depois de, em novembro de 2012, o Governo ter suspendido os voos entre Bragança/Vila Real e Lisboa (que já eram realizados pela Aero Vip), com o argumento de que Bruxelas não autorizava mais o financiamento direto de 2,5 milhões de euros por ano à operadora.

Lusa

  • Voos para Bragança suspensos há três anos
    3:52

    País

    Faz amanhã três anos que foram interrompidas as ligações aéreas entre Trás-os-Montes e o litoral. Houve várias promessas, mas ainda falta autorização do Tribunal de Contas. Autarcas e empresários transmontanos dizem que o fim dos voos tem tido impacto muito negativo na região.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.