sicnot

Perfil

País

Dezenas de taxistas protestam no aeroporto de Lisboa contra a Uber

Dezenas de taxistas estão hoje à tarde concentrados à porta das chegadas do aeroporto da Portela, em Lisboa, em protesto contra o serviço de transporte privado Uber, não havendo, por isso, serviço de táxis no local.

(Arquivo)

(Arquivo)

MÁRIO CRUZ/LUSA

"Esta é uma manifestação espontânea, que surgiu depois de um taxista ter pedido a um agente da PSP para identificar um veículo da Uber e o agente mandou embora o veículo e autuou o taxista", explicou à agência Lusa Eduardo Cacais, da Federação Portuguesa do Táxi (FPT).

A atuação do agente da PSP "motivou este sentimento de revolta": "Sentimo-nos lesados", disse.

Desde as 14:00 não há serviço de táxi no aeroporto. Os veículos estão todos parados nas praças de táxi e nas suas imediações.

Eduardo Cacais adiantou que "a PSP está a anotar as matrículas dos táxis" que estão ali parados (fora das praças de táxi).

No protesto estão presentes o presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, e o presidente da FPT, Carlos Ramos.

Os dirigentes foram recebidos por um representante da ANA -- Aeroportos de Portugal, pelas 16:00.

Quando saíram da reunião, seguiram para a residência oficial do primeiro-ministro. Os taxistas irão manter-se em protesto no aeroporto até que estes representantes regressem.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.