sicnot

Perfil

País

Taxistas contra a Uber vão aguardar até sexta-feira para decidir o que fazer

Os taxistas que hoje se manifestaram no aeroporto de Lisboa contra a Uber decidiram aguardar até sexta-feira para decidirem o que vão fazer, depois de hoje receberem a garantia de uma reunião com o Governo esta semana.

© Dado Ruvic / Reuters

A posição foi transmitida no local do protesto pelo presidente da Federação Portuguesa do Táxi, Carlos Ramos.

Uma delegação representativa dos taxistas, que protestam contra o serviço privado de transporte de passageiros Uber, deslocou-se até à residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento, onde recebeu a garantia de uma reunião através de um assessor de António Costa.

"Iremos aguardar até sexta-feira para saber o que vamos fazer", afirmou o dirigente associativo.

Independentemente de serem recebidos ou não, a Federação Portuguesa do Táxi e a Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) vão reunir-se na próxima semana para tomarem decisões em relação a este e outros assuntos.

Entretanto, o Governo solicitou à Comissão Europeia informação sobre o serviço da Uber, para a adoção de "uma estratégia comum", informou hoje, em comunicado, o gabinete do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente.

Em relação a esta posição, Carlos Ramos disse: "Vai agravar a situação neste momento, é contraditório com o que nos foi dito. É preciso uma resposta concreta".

Segundo o gabinete do secretário de Estado José Mendes, foi solicitada "informação à Comissão Europeia sobre os desenvolvimentos que estão em curso, bem como sobre a existência de uma estratégia comum, que permita uma articulação das posições dos diversos Estados-membros" em relação à atividade da Uber.

Para o presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, são declarações que "demonstram o desnorte dos políticos".

Os taxistas começaram a desmobilizar depois dos discursos feitos no local pelos dirigentes associativos, cerca das 19:00.

Dezenas de taxistas concentraram-se hoje à tarde à porta das chegadas do aeroporto da Portela, em Lisboa.

Lusa