sicnot

Perfil

País

Conferência Episcopal condena cartaz do Bloco com imagem de Cristo

O porta-voz da Conferência Episcopal, Manuel Barbosa, considerou hoje "uma afronta aos crentes" o uso de uma imagem de Jesus Cristo numa campanha do Bloco de Esquerda em defesa da adoção por casais homossexuais.

O BE divulgou nas redes sociais um cartaz com a imagem de Jesus Cristo no qual se lê "Jesus também tinha 2 pais" e que pretende assinalar a data de 10 de fevereiro de 2016, dia em que o parlamento confirmou as leis vetadas no final de janeiro pelo Presidente da República, Cavaco Silva, sobre a adoção por casais homossexuais e as alterações à lei da Interrupção Voluntária da Gravidez.

Em declarações hoje à agência Lusa, Manuel Barbosa disse que o cartaz "afronta os crentes que seguem Jesus Cristo e os que são da igreja, naturalmente".

"Deve haver respeito pela liberdade de expressão. Sabemos que esse respeito deve ser sempre um respeito mútuo. A liberdade implica sempre relação e corresponsabilidade e, este respeito mútuo, não sei se estará presente no anúncio deste cartaz", sublinhou.

No entender do porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, o cartaz do BE é "uma analogia sem sentido".

"Essa dos pais espirituais é abusiva. Penso que há um certo aproveitamento, num período em que na igreja se está a viver um tempo forte de Quaresma, depois a Páscoa e o Ano da Misericórdia. Não sei se é coincidência ou se é propositado", argumentou.

Manuel Barbosa disse que o cartaz "vale o que vale", realçando que "há coisas mais importantes".

"É de lamentar que não se tenha em atenção as convicções de quem segue Jesus Cristo, mesmo que este cartaz já tenha sido feito noutros países. É uma cópia de muito mau gosto", sustentou.

O responsável disse ainda esperar que o cartaz "não seja motivo para desviar a atenção em relação aos problemas da vida das pessoas".

De acordo com o jornal Público de hoje, o cartaz "é apenas uma das peças de uma campanha do BE que inclui ainda um outdoor, no qual se lê a palavra 'Igualdade', acompanhada de desenhos que representam diferentes tipos de famílias".

A deputada do BE, Sandra Cunha, disse ao Público que a ideia do cartaz com a imagem de Jesus Cristo não pretende ofender nem a igreja nem a religião, tratando-se apenas de "mostrar às pessoas que sempre existiram famílias diferentes e que essa não é uma realidade nova nem recente.

"Os dois pais a que se refere o cartaz são, segundo a deputada, "o pai espiritual e o pai terreno de Jesus Cristo".

Última atualização às 13:08

Com Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.