sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para o continente céu muito nublado ou encoberto, com boas abertas nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela a partir da tarde e períodos de chuva no litoral norte e centro, estendendo-se às restantes regiões, e que poderá ser por vezes forte, passando gradualmente a partir da tarde, a regime de aguaceiros que serão por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

Está também prevista queda de neve acima de 1000/1200 metros de altitude, descendo a cota para 400/600 metros no final do dia, vento fraco a moderado do quadrante sul, tornando-se moderado a forte no litoral, rodando para noroeste a partir da tarde, e tornando-se forte no litoral com rajadas até 90 quilómetros por hora, em especial a sul do cabo Mondego.

Nas terras altas, prevê-se vento moderado a forte de sudoeste, tornando-se forte a muito forte com rajadas até 110 quilómetros por hora, em especial nas regiões centro e sul, rodando para noroeste a partir da tarde e pequena descida da temperatura máxima.

Em Lisboa as temperaturas vão variar entre 10 e 12 graus Celsius, no Porto entre 08 e 11, em Vila Real entre 06 e 07, em Viseu entre 05 e 06, em Bragança entre 04 e 06, na Guarda entre 02 e 04, em Coimbra entre 09 e 10, em Castelo Branco entre 06 e 10, em Santarém entre 09 e 13, em Évora entre 06 e 11, em Beja entre 07 e 12 e em Faro entre 09 e 15.

Com Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15